Vacina da Johnson & Johnson estimula anticorpos em 98% dos pacientes!

A vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela farmacêutica americana Johnson & Johnson apresentou resultados encorajadores nas fases iniciais e intermediárias de testes para a sua aprovação, de acordo com informações divulgadas na sexta-feira, 25.

Uma única dose da vacina estimulou o sistema imunológico de 98% dos pacientes a produzir uma forte resposta ao vírus.

istockphoto-1214269987-170667a-3

Os resultados foram divulgados em um site especializado com a ressalva de que ainda não foram revisados por pares científicos.

Os chamados anticorpos neutralizantes, que são capazes de defender as células de patógenos, foram encontrados em 98% dos cerca de 1.000 adultos saudáveis que tomaram a vacina. Uma dúvida em aberto é saber se a dose protege da mesma forma pessoas com mais de 65 anos, uma vez que os dados relativos a esse grupo foram insuficientes.

Os pacientes tiveram igualmente uma reação positiva à aplicação de duas doses. Outras empresas que também estão na corrida pelo desenvolvimento de uma vacina para a Covid-19, como a Moderna e a Pfizer, trabalham com a aplicação em duas doses separadas por um intervalo de tempo. Dispor de uma vacina eficaz em uma dose pode aumentar significativamente o alcance de campanhas de vacinação.

Na última quarta-feira, 23, a Johnson & Johnson iniciou a terceira e última fase de testes de sua vacina para a Covid-19 com cerca de 60 mil pacientes Será realizado com adultos no Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, México, Peru, África do Sul e Estados Unidos. Os participantes serão selecionados aleatoriamente para receber uma dose da vacina ou de um placebo.1024

O ensaio incluirá pessoas acima dos 60 anos, com e sem outras doenças preexistentes. Esta última etapa dos ensaios serve para determinar se a vacina é segura e eficaz nos diferentes grupos de pessoas.

A Johnson & Johnson informou que está usando a mesma tecnologia utilizada para desenvolver sua vacina experimental contra o Ebola.

Envolve a combinação de material genético do coronavírus com um adenovírus modificado que é conhecido por causar resfriados comuns em humanos.

Segundo a gigante farmacêutica, sua vacina, que recebeu o nome de Ad26.COV2.S, demonstrou segurança e induziu resposta imune nas fases 1 e 2 dos ensaios clínicos, quando foi aplicada apenas uma dose em cada paciente.

A J&J antecipa que os primeiros lotes estarão disponíveis para autorização de uso de emergência no início de 2021, se comprovado que o imunizante é seguro e eficaz. Segundo a empresa, a ideia é produzir uma vacina acessível ao público, sem fins lucrativos.

Fonte: Exame.com

Catraca Livre



Compartilhar no Facebook