"Tremor Essencial": Tratamento por ULTRASSOM pode ser eficaz até 3 anos depois!

Pessoas com tremores nas mãos, na cabeça ou na voz podem encontrar algum alívio por até 3 anos com um tratamento que utiliza ondas de ultrassom para destruir a área do cérebro que causa o tremor, de acordo com um estudo publicado na Neurology, a revista médica da Academia Americana de Neurologia. O tratamento é usado para pessoas cujos tremores não melhoram com a medicação.

focused-ultrasound-for-tremors-10519@2x

Tremor essencial é o tipo mais comum de distúrbio do tremor. Pode ser incapacitante para mais de 7 milhões de pessoas nos Estados Unidos que vivem com o distúrbio. A condição pode causar problemas nas atividades diárias, como comer, escrever ou fazer a barba.

"Para pessoas que têm um tremor essencial incapacitante que não está respondendo à medicação, esse tratamento deve ser considerado uma opção segura e eficaz", disse o autor do estudo Casey H. Halpern, da Universidade de Stanford, em Stanford, Califórnia.

O estudo envolveu 76 pessoas com idade média de 71 anos que tiveram tremor essencial por 17 anos em média. No estudo inicial, 56 pessoas receberam o tratamento, chamado de talamotomia por ultrassom focado, e 20 pessoas fizeram uma terapia simulada. Após três meses, os participantes foram informados se haviam recebido o tratamento ou a farsa e aqueles que receberam a farsa puderam fazer o tratamento. Todos os participantes foram seguidos por dois anos. O presente estudo acompanhou os participantes por mais um ano após o tratamento.

exablateneuro_1013085

Tremores nas mãos, nível de incapacidade e qualidade de vida foram medidos no início do estudo, após seis meses, um ano, dois e três anos. Após 3 anos, em média, os participantes melhoraram os tremores nas mãos em 50%, a incapacidade em 56% e a qualidade de vida em 42%.

Não ocorreram novos efeitos colaterais durante o terceiro ano após o tratamento. Nenhum dos efeitos colaterais piorou e dois foram resolvidos. Todos os efeitos colaterais no estudo foram leves ou moderados. Eles incluíam dormência e formigamento, desequilíbrio e instabilidade.

O tratamento mais frequente atualmente para pessoas com tremor essencial grave que respondem insuficientemente à medicação é a estimulação cerebral profunda. Halpern disse que, embora o estudo não tenha comparado os dois tratamentos, a talamotomia por ultrassom focado oferece várias vantagens à estimulação cerebral profunda.

"Este é um tratamento menos invasivo que não envolve incisões ou inserção de sondas ou eletrodos no cérebro. É realizado em uma sessão; não há necessidade de visitas de acompanhamento. E o benefício é imediato". Ao mesmo tempo, esse tratamento, em contraste com a estimulação cerebral profunda, produz uma lesão cerebral e não é ajustável ou reversível.

Fonte: MedicalXpress



Compartilhar no Facebook