Seu antiácido está deixando você deprimido? Estudo mostra efeitos alarmantes de medicamentos comuns!

As medicamentos inegavelmente mudaram nossas vidas. No entanto, muitas vezes eles vêm com efeitos colaterais. E quando esses efeitos colaterais são subestimados ou ignorados, podem criar novos problemas ao tentar consertar outra coisa. A depressão é potencialmente um desses problemas!

De acordo com um novo estudo, publicado no Journal of American Medical Association, cerca 37% dos adultos americanos podem, sem saber, tomar remédios que tenham depressão ou suicídio como efeito colateral.

A equipe mostrou que o risco piorou se várias dessas drogas fossem tomadas de uma só vez. A probabilidade de sofrer depressão ao tomar um medicamento foi de cerca de 7%, em comparação com 5%, se não foram tomadas drogas. A polifarmácia (tomando mais de uma droga ao mesmo tempo) aumentou o risco para 9% para duas drogas e 15% para três drogas tomadas de uma só vez.

img_quais_os_remedios_que_causam_depressao_18330_600

O estudo é baseado nos padrões de medicação de mais de 26.000 adultos entre 2005 e 2014. As informações foram coletadas como parte da Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição.

Os pesquisadores descobriram que 200 medicamentos comumente usados têm depressão e suicídio listados como efeitos colaterais, incluindo pílulas anticoncepcionais, remédios para pressão, analgésicos e até antiácidos.

A pesquisa não considerou, no entanto, se os pacientes tinham histórico médico de depressão ou se a condição em que estavam sendo tratados contribuiu para sua depressão.

"A mensagem deste estudo é que a ingestão de vários medicamentos ao mesmo tempo pode levar a sintomas depressivos e que os pacientes precisam estar cientes do risco de depressão que vem com todos os tipos comuns de medicamentos prescritos - muitos dos quais também estão disponíveis para consumo sem receita médica", disse o professor Dima Qato, da Universidade de Illinois em Chicago, em um comunicado.

"Muitos podem se surpreender ao saber que seus medicamentos, apesar de não terem nada a ver com humor ou ansiedade ou qualquer outra condição normalmente associada à depressão, podem aumentar o risco de apresentar sintomas depressivos e levar a um diagnóstico de depressão."

depress-o-mediabox_17012_242_427

Os pesquisadores acham que é fundamental que tanto o público quanto os profissionais de saúde tenham em mente os efeitos colaterais da medicação. A pesquisa mostra que ao longo da década em questão, todas as drogas comuns analisadas no estudo foram cada vez mais prescritas.

"As pessoas não estão apenas usando cada vez mais esses medicamentos, mas estão cada vez mais usando-os simultaneamente, mas poucos desses remédios têm rótulos de alerta, então, até termos soluções públicas, cabe aos pacientes e profissionais de saúde estarem cientes dos riscos", acrescentou Qato.

Como a depressão é uma das principais causas de incapacidade, é importante que façamos o que pudermos para ajudar e apoiar as pessoas que sofrem com ela, especialmente porque o estigma associado à saúde mental muitas vezes os impede de receber a ajuda de que precisam.

Compartilhe esse alerta!

Fonte: IFL Science



Compartilhar no Facebook