Quanto tempo podemos sobreviver em uma caverna?

A equipe de futebol formada por 12 adolescentes e o treinador que desapareceu na Tailândia no mês passado foi encontrada na terça-feira, 13, pelo socorristas. De acordo com a BBC, o time estava em passeio explorando as cavernas de Tham Luang quando fortes chuvas inundaram o espaço subterrâneo onde estavam. Por causa disso, eles ficaram desaparecidos por 9 dias.

Entretanto, devido às dificuldades de resgate, os garotos e o técnico podem ser forçados a ficar na caverna até outubro.

rexfeatures_9732973b-800x533

A revista Live Science entrevistou especialistas para saber quais são as dificuldades que os adolescentes vão enfrentar caso não seja possível retirá-los da caverna em breve.

Respiração

A primeira dificuldade poderia ser a falta de oxigênio, especialmente por se tratar de um grupo grande preso em um ambiente subterrâneo. Mas segundo Andrea Rinaldi, bioquímico da Universidade de Cagliari, na Itália, esta preocupação deve ser descartada. “O oxigênio é geralmente abundante em cavernas, até mesmo centenas de metros abaixo do solo. Ele flui através de rachaduras nas rochas e através de calcário poroso”, explicou ao Live Science.

Outro problema ligado à respiração seria a acúmulo de dióxido de carbono (CO2), já que, apesar de raros, algumas cavernas podem ter bolsões que podem acumular CO2, tornando o ar irrespirável. O pesquisador afirma que o bolsão da caverna onde o time foi encontrado é provavelmente grande, havendo oxigênio suficiente para sustentar o grupo por um longo período. Entretanto, ele alerta que a equipe de resgate deve monitorar a qualidade do ar na caverna para evitar incidentes.

A poeira no ar também pode ser mais um desafio à sobrevivência dos adolescentes. Em algumas cavernas tropicais, a decomposição das fezes de morcego pode liberar vapor de amônia e espalhar fungos que, se inalados, podem causar problemas respiratórios. Mas ainda não há nenhum indício desta realidade no caso tailandês.

Necessidades básicas

ap18183467006179

Um ser humano saudável pode sobreviver semanas – ou meses – sem comida. No entanto a água é fundamental. Caso as equipes de resgate não estivessem fornecendo alimentos e bebidas para o grupo, a melhor opção seria ingerir a água que escorre do teto e das paredes da caverna. Ainda que eles tenham ficado presos por causa das chuvas, a água disponível é lamacenta e poderia causar doenças.

De acordo com Narongsak Ostanakorn, governador da província de Chiang Rai, os garotos e o técnico receberam suprimento de analgésicos – para o caso de algum deles ter se machucado levemente durante o tempo em que estiveram desaparecidos, assim como antibióticos como medida preventiva para evitar infecções.

Em outra situação, a temperatura dentro da caverna também poderia representar uma dificuldade à sobrevivência do grupo. “A hipotermia é outro inimigo perigoso, mas neste caso particular estamos lidando com uma caverna tropical, então a temperatura deve estar acima de 20°C”, disse Rinaldi.

Desafios psicológicos

Estar preso no subsolo por dias, no escuro, com pouco ou nenhum alimento pode ser uma experiência angustiante para qualquer pessoa, afetando diretamente a saúde mental. No entanto, como o time foi encontrado e está recebendo todo o apoio necessário, o impacto deve ser menor. Além disso, segundo a BBC, linhas telefônicas serão instaladas dentro das cavernas para que eles possam conversar com suas famílias.

Apesar disso, em entrevista à New Scientist, David Paterson, fisiologista da Universidade de Oxford, no Reino Unido, afirmou que viver em situação de confinamento e sem luz natural por semanas ou até meses vai representar um desafio psicológico para o qual é necessário ser mentalmente resiliente.

Informações da BBC indicam que os socorristas estão avaliando as opções disponíveis para resolver a situação: ensinar os adolescentes a mergulhar para que possam cruzar as passagens inundadas, considerando ainda o desafio de que nenhum deles sabe nadar; ou esperar quatro meses até que o volume de água diminua e eles possam ser resgatados com segurança.

No entanto, há previsões de mais chuvas para a região, o que pode colocar em risco a área seca em que o grupo está e comprometer o abastecimento e o contato com os mergulhadores. Os ministros tailandeses agora discutem as possibilidades de um resgate antes que isso aconteça.

Oremos para que essas crianças sejam fortes e logo consigam estar de volta às suas casas. Isso é angustiante para todos!

Fonte: Veja.com

Live Science



Compartilhar no Facebook