Pai com Alzheimer reconhece Filho após uso de Óleo de Cannabis!

Um vídeo emocionante feito por uma família brasileira mostra o progresso de um pai com Alzheimer após o uso do óleo de cannabis – e pode ajudar a combater o preconceito que existe em torno do tratamento e do assunto.

“Não lembro quando foi a última vez que meu pai me chamou de filho, falou que me ama e me deu um abraço. Hoje foi esse dia. Gratidão!”, diz Filipe Barsan Suzin, de 28 anos, chorando de alegria na gravação.

Pai-e-filho-Cannabis-3

Ele é filho de seu Ivo, de 58 anos, morador de Goiás diagnosticado com a doença há 6 anos. Filipe conta que o pai era amoroso, mas com o avanço do Alzheimer não queria mais tomar banho, agredia a família, não sabia mais mastigar uma refeição e não se lembrava quem eram as pessoas ao seu redor.

A família decidiu buscar um tratamento alternativo e meses depois de usar o óleo de cannabis ele é outra pessoa. Já conversa, brinca, dança, deixa a família dar banho nele e voltou a comer sozinho.

design-sem-nome-1

“Faz 7 meses que o meu pai faz uso do óleo, em uma semana já teve uma mudança inexplicável! Sendo que ele ficou mais de 6 anos sendo dopado, tomando remédios fortes. Meu pai teve melhoras sensacionais!”, afirmou Filipe Barsan Suzin, de 28 anos, ao Razões para Acreditar.

O óleo

Seu Ivo usa o óleo de uma extração full spectrum da planta, ou seja, a planta inteira. O óleo é fornecido pela ONG Ágape Medicinal, que também fornece para outras famílias da região. Hoje, a associação atende a 100 pacientes, grande parte idosos com Alzheimer e também crianças e adultos autistas, entre outras patologias.

“A cannabis ativa o cérebro do indivíduo, ela age literalmente no cérebro, diferente do CBD, então, no caso do seu Ivo, foi usado o óleo da planta inteira, em baixas quantidades, é uma fitoterapia, você não tem letalidade e nem toxicidade”, afirma Yuri Ben-Hur da Rocha Tejota, fundador e presidente da Ágape. Ele é graduado em Cannabusiness e Cultivo Indoor e Outdoor pela Universidade de Oaksterdam, Califórnia.

Ignorância

Yuri disse ainda que o desconhecimento das pessoas sobre o assunto é o principal motivo de conclusões erradas sobre a cannabis medicinal.

“Tem uma política proibicionista em cima da cannabis, que faz as pessoas a enxergarem como uma droga, mas tem vários estudos que comprovam que ela não é porta de entrada para nada, não aumenta a violência. É uma planta, e que se bem feito o uso dela, de forma rastreável e com acompanhamento de profissionais da área, é algo seguro”, concluiu.

Assista ao vídeo feitos pela família do seu Ivo, sobre a evolução dele e veja no final a emoção do Filipe ao ser reconhecido pelo pai:

Fonte: Só Notícia Boa



Compartilhar no Facebook