"Óleo de Prímula": Suplemento ideal para as Mulheres com mais de 40!

Há quem acredite que o óleo de prímula pode auxiliar no tratamento de problemas de saúde como acne, neuropatia diabética, eczema, osteoporose, psoríase, síndrome pré-menstrual (TPM) e artrite reumatoide.

Mas será mesmo que essas maravilhas todas são proporcionadas pela ingestão desse óleo?

Tomar-esses-dois--leos-todos-os-dias---segredo-para-pele-sem-espinhas-e-ruguinhas

Extraído das sementes da prímula (Oenothera biennis), uma planta nativa da América do Norte, o óleo contém ácido gamalinolênico (GLA), um ácido graxo ômega-6 que possui propriedades anti-inflamatórias e analgésicas.

Benefícios do óleo de prímula para a saúde

1. Problemas menstruais e calor da menopausa

Óleo de prímula tem sido muito eficaz contra as ondas de calor da menopausa feminina. Essas ondas de calor são causadas por níveis reduzidos do hormônio estradiol.

smith-prd-meth01-tom_rpc_intraCA0A3GOQ-600x401

As cólicas menstruais e os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM) também podem ser controlados com o óleo de prímula.

2. Eczema

O óleo de prímula é considerado um tratamento eficaz para o eczema. Mas, apesar dos resultados positivos, ainda não é possível provar sua eficácia.

3. Artrite reumatoide

A artrite reumatoide é um tipo de doença autoimune que afeta principalmente as articulações. Alguns estudos sugerem que o ácido gamalinolênico (GLA) presente no óleo de prímula pode reduzir – moderadamente – a dor e melhorar a função em pessoas que sofrem com a doença.

Os melhores resultados foram observados em pessoas que usaram simultaneamente drogas anti-inflamatórias não esteroidais, desencadeando uma melhora na rigidez matinal e na articulação articular.

4. Osteoporose

Um &&aumento da ingestão de gordura insaturada** está associado a um risco reduzido de osteoporose (perda mineral óssea), especialmente em mulheres na pós-menopausa. E o óleo de prímula é quase inteiramente feito de gordura insaturada.

Um estudo na África do Sul relatou que o uso combinado de óleo de prímula, óleo de peixe e suplementos de cálcio retardou ou reverteu a perda óssea em mulheres mais velhas (idade média 79) em comparação com um grupo de mulheres que receberam placebo.

5. Neuropatia diabética

O óleo de prímula tem sido indicado como possível tratamento da neuropatia diabética (ND), uma dor do nervo muitas vezes debilitante que afeta principalmente os pés e as pernas.

É que um estudo realizado na Índia, envolvendo 80 pessoas com Neuropatia Diabética grave, concluiu que uma dose diária de 500 a 1.000 miligramas de óleo de prímula combinada com 400 miligramas de vitamina alcançou alívio da dor em 88% dos participantes.

Atenção

Em alguns casos, o óleo de prímula pode causar efeitos colaterais como dor de estômago, dor de cabeça, náusea e diarreia.

Se você sofre de algum distúrbio hemorrágico ou faz uso de remédios anticoagulantes, não deve tomar óleo de prímula.

Assim como pessoas com distúrbios convulsivos e que tomam medicamentos para a esquizofrenia devem evitar o óleo de prímula, pois isso pode aumentar o risco de convulsões.

O óleo é contraindicado também para mulheres grávidas, pois isso pode aumentar o risco de aborto ou parto induzido.

Fonte: Cura pela Natureza



Compartilhar no Facebook