O que saber sobre a suspensão da vacina Oxford-AstraZeneca em países europeus!

Vários países europeus suspenderam o plano de vacinação com a vacina Oxford/ AstraZeneca COVID-19 após um pequeno número de relatos de pessoas que desenvolveram coágulos sanguíneos após tomarem a injeção.

No entanto, essa mudança é apenas uma medida de precaução. Dos cinco milhões de pessoas na Europa que receberam o imunizante da Oxford/ AstraZeneca, houve 30 casos de "eventos tromboembólicos".

604b5c8eb1973700196949ea

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) procurou acalmar os temores, lançando uma investigação preliminar sobre a questão que revelou não haver atualmente nenhuma indicação de que a vacinação tenha causado essas complicações. Muitos outros cientistas independentes no Reino Unido também disseram que a notícia não deveria necessariamente causar alarme, observando que a suspensão é uma "abordagem supercuidadosa" e que a esmagadora maioria das evidências mostra que as vacinas são seguras.

As preocupações envolvem lotes específicos da injeção Oxford/AstraZeneca: lotes ABV5300 e ABV2856. De acordo com a BBC News, Dinamarca, Noruega e Islândia suspenderam temporariamente o lançamento de todas as vacinas AstraZeneca, enquanto Áustria, Estônia, Letônia, Lituânia e Luxemburgo suspenderam o uso de lotes ABV5300. A Itália e a Romênia suspenderam o uso do ABV2856.

As suspensões surgiram após relatos de que um pequeno número de pessoas desenvolveu coágulos logo após receber a vacina. Esta semana, a Autoridade de Saúde Dinamarquesa anunciou que uma pessoa na Dinamarca morreu de um coágulo sanguíneo após receber a vacina Oxford/AstraZeneca. As autoridades de saúde da Áustria também disseram que uma pessoa foi diagnosticada com múltiplos coágulos sanguíneos e morreu 10 dias após a vacinação, enquanto outra foi hospitalizada com obstrução nas artérias dos pulmões após ser vacinada. Duas mortes na Sicília relacionadas a coágulos sanguíneos em pessoas que foram vacinadas também foram relatadas.

No entanto, a EMA explica que atualmente não há evidências que sugiram que haja uma relação causal entre as mortes e vacinas, acrescentando que o risco de coágulos sanguíneos em pessoas vacinadas atualmente não parece ser maior do que o observado na população em geral.

"Quando algo ruim acontece depois de você ter sido vacinado, é natural imaginar se a vacina foi a causa. No entanto, quando um grande número de pessoas está sendo vacinado em um curto período de tempo, um certo número de doenças inesperadas e incomuns vão acontecer no período seguinte à vacinação por acaso", comentou o professor Adam Finn, professor de Pediatria da Universidade de Bristol, no Reino Unido.

"Problemas genuínos com um lote são muito raros e quase sempre estão relacionados à contaminação por bactérias ou partículas físicas (por exemplo, vidro) detectadas pelo fabricante", acrescenta o professor Stephen Evans, professor de farmacoepidemiologia da London School of Hygiene & Tropical Medicine.

“Pausar o uso neste caso não é baseado em evidências”, explica ele. "Não se sabe se há razões não científicas para as ações tomadas por alguns países da UE."

Fonte: IFL Science



Compartilhar no Facebook