Mulher morre por uma rara Ameba que come o Cérebro por uma razão realmente estúpida!

Esvaziar a cavidade nasal é um método comum para limpar os seios, mas também pode ser um vetor para a ameba mortal que come o cérebro. Pelo menos, é o que pode acontecer se você não seguir cuidadosamente as instruções, como um novo relato de caso deixou muito claro.

Usar um lota ou outro tipo de dispositivo pessoal de irrigação ajuda muitas pessoas a respirar mais facilmente lavando e umedecendo suas passagens nasais, mas a experiência fatal de uma mulher de Seattle destaca o risco potencialmente extremo de não usar água estéril com esses tipos de auxiliares de saúde.

111-neti-pot-amoeba_600

"Quando eu operava essa senhora, uma parte de seu cérebro do tamanho de uma bola de golfe era um mingau sangrento", disse ao The Seattle Times o neurocirurgião Charles Cobbs, do Swedish Medical Center.

"Havia essas amebas em todo o lugar apenas comendo células cerebrais. Não tínhamos a menor ideia do que estava acontecendo, mas quando conseguimos o tecido, podíamos ver que era a ameba."

Cerca de um ano antes disso, a mulher de 69 anos em questão havia desenvolvido uma sinusite crônica. Quando a medicina não aliviou seus sintomas, seu médico sugeriu o uso de um dispositivo de irrigação salina para limpar seus seios. Esses dispositivos liberam o sistema sinusal com uma solução de água salgada que limpa a passagem nasal, mas, como as diretrizes recomendam, é importante usar somente água livre de qualquer organismo infeccioso.

Isso significa usar água destilada ou estéril, ou usar água fervida e resfriada que esteja fervendo entre 3 a 5 minutos. Afora isso, o lota ou outro dispositivo usado também deve ser estéril, o que significa esfregar entre os usos.

capa-post-lota

Infelizmente, a mulher de 69 anos, neste caso, não cumpriu estas instruções. Em vez de usar água estéril com o aparelho, limpou os seios com água da torneira filtrada, que não havia sido fervida.

Depois de um mês se tratando dessa maneira, sua infecção sinusal se transformou em uma grande erupção cutânea na ponte do nariz, junto com uma pele vermelha e crua na abertura nasal.

Apesar de várias visitas a seu dermatologista, o mistério por trás desses sintomas estranhos - inicialmente suspeitos de serem uma espécie de rosácea - permaneceu sem solução, embora um súbito declínio em sua saúde um ano depois fornecesse algumas respostas.

Cerca de um ano após a erupção do nariz ter aparecido, a paciente experimentou uma convulsão, com a mulher perdendo a cognição e o lado esquerdo do corpo tremendo.

Uma tomografia computadorizada revelou o que parecia ser um tumor do tamanho de uma pequena moeda no córtex motor no lado direito do cérebro. Uma biópsia mostrou necrose consistente com tal tumor, mas quando o paciente retornou apenas alguns dias depois com novos sintomas, uma análise mais aprofundada revelou que as lesões estavam espalhadas por todo o cérebro.

"No dia 19 de pós-operatório, o neuropatologista consultor da Universidade Johns Hopkins sugeriu a possibilidade de infecção amebiana", explica a nota do caso.

"A avaliação histopatológica subsequente da segunda ressecção revelou evidência clara de infecção amebiana e dramática necrose hemorrágica."

Embora não se saiba ao certo como a mulher contraiu a infecção da ameba, os pesquisadores suspeitam que o organismo - Balamuthia mandrillaris - entrou no cérebro da mulher através de "lavagem nasal imprópria", entrando na corrente sanguínea antes de se instalar em seu cérebro.

1_Balamuthia-amoeba-illustration

O que não está em dúvida é que infecções como essa são muito raras. De fato, se a hipótese da equipe estiver correta, ela representa o primeiro primeiro caso de infecção cerebral por B. mandrillaris a partir da lavagem nasal, embora outro tipo de ameba - Naegleria fowleri - tenha sido relatado anteriormente infiltrando seres humanos dessa maneira.

Infelizmente, uma vez que a mulher no caso teve seu culpado identificado, era tarde demais. Apesar da terapia anti-amebiana agressiva, sua condição piorou e, após uma semana, ela morreu.

Embora a raridade desses tipos de infecções signifique que não devemos entrar em pânico, ao mesmo tempo, os pesquisadores estão lembrando as pessoas de que, se usarem dispositivos como esses para limpar seus seios nasais, é imperativo fazê-lo com segurança, seguindo todas as orientações.

"A razão pela qual você pode ter infecções cerebrais pela irrigação nasal, ao contrário de engolir água da torneira ou tomar banho em água corrente, é que o teto do nariz é uma das únicas partes do corpo humano onde há uma extensão direta do cérebro e o sistema nervoso central para o mundo externo ", disse à TIME o otorrinolaringologista Ben Bleier, da Harvard Medical School, que não esteve envolvido no caso.

"Nós ainda achamos que é muito, muito seguro de usar. Você só tem que fazer isso de uma maneira limpa." Compartilhe!

Os resultados são relatados no International Journal of Infectious Diseases.

Fonte: Science Alert



Compartilhar no Facebook