Melhorar o Sistema de Limpeza das Células do Cérebro é a chave para a Cura do Alzheimer, afirma novo estudo!

Uma equipe de pesquisa internacional com representação da Universidade de Copenhague criou uma melhor compreensão da doença de Alzheimer. Eles mostraram que o sistema de limpeza das células do cérebro, um processo chamado de mitofagia, está enfraquecido em animais e humanos com a doença de Alzheimer.

E quando eles melhoram a mitofagia nos animais, os sintomas da doença de Alzheimer quase desaparecem.

41593_2018_332_Fig1_HTML

Cientistas em todo o mundo ainda estão lutando para entender melhor a doença de Alzheimer, a fim de tratar e potencialmente prevenir o desenvolvimento da doença debilitante no futuro. Nenhum novo medicamento foi aprovado nos últimos anos.

Em um novo estudo na revista científica Nature Neuroscience, uma equipe internacional de pesquisadores da Universidade de Copenhague, Institutos Nacionais de Saúde e da Universidade de Oslo, entre outros, relatam um caminho para o tratamento da doença, visando o processo de mitofagia.

"Quando o sistema de limpeza não funciona adequadamente, haverá um acúmulo de mitocôndrias defeituosas nas células cerebrais. E isso pode ser realmente perigoso. De qualquer forma, o sistema de limpeza está nitidamente enfraquecido nas células de humanos e animais com Alzheimer. E quando melhoramos a limpeza em animais vivos, os sintomas de Alzheimer quase desaparecem", diz Vilhelm Bohr, autor do estudo e professor afiliado do Centro de Envelhecimento Saudável e Institutos Nacionais de Saúde.

Fábricas de energia defeituosas

6-alzheimers

Os pesquisadores examinaram mais de perto o processo de limpeza em células cerebrais de pacientes com Alzheimer, em células-tronco induzidas por Alzheimer, e em camundongos vivos e lombrigas com Alzheimer. Além disso, também testaram substâncias ativas direcionadas ao processo de limpeza nos modelos animais.

"Isso reforça significativamente nossos resultados de que o processo de limpeza parece ser importante tanto nas células humanas quanto nas espécies animais. É encorajador que nos animais vivos possamos melhorar os sintomas do Alzheimer envolvendo memória e aprendizado", diz Vilhelm Bohr.

As mitocôndrias vivem dentro das células e podem ser vistas como as fábricas de energia das células. A mitofagia quebra as mitocôndrias defeituosas e reutiliza suas proteínas. Sabe-se de pesquisas anteriores que a disfunção da mitofagia está associada à má função e à sobrevivência das células nervosas, mas até agora não foi demonstrada nenhuma conexão com a doença de Alzheimer.

Retardando a acumulação

Tanto na doença de Alzheimer como em outros estados de demência, há um acúmulo das proteínas tau e beta amilóide no cérebro, levando à morte celular. Nos novos modelos animais, os pesquisadores mostram que, ao aumentar a mitofagia, esse acúmulo diminuirá.

Os pesquisadores acreditam que suas descobertas indicam que o processo de limpeza é um alvo potencial para o tratamento da doença de Alzheimer, que deve ser mais investigada. Eles, portanto, planejam iniciar ensaios clínicos em seres humanos no futuro próximo. E vamos torcer para que tenham sucesso e que a tão espera cura do Alzheimer enfim seja descoberta!

Fonte: Medical Express



Compartilhar no Facebook