"Google AI" pode prever quando você vai morrer com 95% de precisão!

O Google sabe muito sobre você. Muito mais do que você provavelmente se sentiria confortável. Sua busca sem fim por mais conhecimento tomou um giro um pouco assustador (mas medicamente falando, bastante útil), delineado em um estudo recentemente publicado no npj Digital Medicine.

O estudo envolve a nova Inteligência Artificial (AI) que a equipe do Medical Brain do Google vem trabalhando. Foi treinado para prever quão provável é que os pacientes que entram no hospital consigam sair vivos.

Um teste do algoritmo de aprendizado de máquina mostrou que ele pode prever a probabilidade de morte com precisão de 95%, o que é muito melhor do que o sistema de pontuação de alerta precoce usado atualmente em hospitais.

coma-brain-dead-patients-bioquark-trial

Em um caso relatado no estudo, um paciente com câncer de mama em estágio avançado foi internado no hospital. Seus pulmões cheios de fluido, ela foi vista por vários médicos e passou por uma varredura. De acordo com a avaliação do hospital, ela teve 9,3% de chance de morrer durante sua estadia, com base em seus sinais vitais, como frequência respiratória, pressão arterial e pulso.

A AI do Google* fez sua própria avaliação sobre o mesmo paciente, avaliando 175.639 pontos de dados em seu registro, escreveram os pesquisadores em seu estudo. Estes incluíram pontos de dados que normalmente não são considerados durante as avaliações do paciente.

A AI conseguiu acessar dados previamente fora de alcance, como PDFs de anotações feitas por médicos e enfermeiras que indicavam evidências de derrames pleurais malignos (acúmulo de fluido ao redor dos pulmões) e risco potencial de úlceras de pressão.

Olhando para esses dados, a AI colocou o risco de morte do paciente durante sua permanência em 19,9%. Ela morreu 10 dias após a admissão.

Como a AI do Google levou mais em conta do que o sistema usual de avaliação do hospital, foi possível fazer uma previsão mais precisa como resultado.

google_artificial_intelligence_in_healthcare

No geral, o estudo constatou que a AI foi capaz de prever a mortalidade 24 horas após a admissão com 95% de precisão em um dos hospitais avaliados e 93% no outro. Isso foi significativamente melhor do que o modelo preditivo tradicional do hospital (o aumento do índice de alerta precoce), que previu a mortalidade com 85% e 86% de precisão, respectivamente.

A precisão das previsões foi reduzida aos dados extras que a AI conseguiu processar. Normalmente, ao prever os resultados dos pacientes, a parte demorada é reunir todos os dados em um formato legível, disse Nigam Shah, professor associado da Universidade de Stanford, à Bloomberg.

Essencialmente, o sistema de AI do Google lida bem com muitos dados que não foram necessariamente reunidos de forma estruturada. Cria previsões mais precisas com menos trabalho de humanos. Cada vez mais assustador!

Fonte: IFL Science



Compartilhar no Facebook