Exame de Sangue poderá detectar 50 Tipos de Câncer usando Inteligência Artificial!

Um novo exame de sangue armado com a tecnologia AI (Inteligência Artificial) pode detectar pelo menos 50 tipos diferentes de câncer, geralmente antes que apareçam sinais ou sintomas. Pode até identificar o tipo específico de câncer que um paciente pode ter. Embora ainda haja mais ajustes a serem feitos, especialistas independentes na área anunciaram os resultados da nova pesquisa como encorajadores.

bloodvessel_hero-hero

O novo estudo, publicado esta semana na revista Annals of Oncology, mostrou como os algoritmos de aprendizado de máquina são capazes de detectar a presença de câncer no corpo de uma pessoa, procurando alterações químicas reveladoras no sangue, conhecidas como metilação.

A metilação é um processo que ocorre quando grupos metil são adicionados à molécula de DNA. É um mecanismo epigenético que as células usam para controlar a expressão gênica, essencialmente se um gene está "ligado ou desligado". No entanto, “erros” na metilação podem causar silenciamento genético inadequado, como o silenciamento de genes supressores de tumores, e resultar em doenças incluindo câncer.

O exame de sangue tem como alvo aproximadamente 1 milhão de locais de metilação no genoma humano e procura padrões incomuns de metilação associados a formas específicas de câncer.

"Este é um estudo histórico e um primeiro passo para o desenvolvimento de ferramentas de triagem fáceis de executar. A detecção precoce de mais de 50% dos cânceres poderia salvar milhões de vidas todos os anos em todo o mundo e reduzir drasticamente a morbidade induzida por tratamentos agressivos", disse o professor Fabrice André, editor-chefe da Annals of Oncology, em comunicado.

content-1585750765-7025-figure-01-i1200

"Embora os números ainda sejam pequenos, o desempenho dessa nova tecnologia é particularmente intrigante no câncer de pâncreas, para o qual as taxas de mortalidade são muito altas porque geralmente são diagnosticadas quando está em estágio avançado", acrescentaram.

Para o novo estudo, os pesquisadores usaram seu teste em 6.689 amostras de sangue colhidas em 2.482 pessoas diagnosticadas com câncer e 4.207 pessoas sem câncer. No geral, apenas 0,7% das pessoas sem câncer foram erroneamente identificadas como portadoras da doença.

No entanto, o teste ocasionalmente perdeu a presença de câncer em alguns pacientes. Em 12 dos tipos mortais mais comuns de câncer, a verdadeira taxa positiva foi de 67%, o que significa que o teste pode detectar com precisão o câncer em dois terços dos casos. Nos 50 cânceres, a verdadeira taxa positiva caiu para cerca de 44%.

Os resultados também destacaram algumas outras desvantagens do teste. Por exemplo, o teste foi menos preciso para cânceres nos estágios iniciais. Entre os 12 grupos comuns de câncer mortal, a sensibilidade foi de 92% para aqueles com estágio IV, 83% para aqueles com estágio III, 69% para aqueles com estágio II e 39% para pacientes com câncer em estágio I.

“Embora esse teste ainda esteja em um estágio inicial de desenvolvimento, os resultados iniciais são encorajadores. E se o teste puder ser ajustado para ser mais eficiente na detecção de câncer nos estágios iniciais, ele poderá se tornar uma ferramenta para detecção precoce”, comentou o Dr. David Crosby, chefe da Early Detection Research da Cancer Research UK*.

"Mas são necessárias mais pesquisas para melhorar a capacidade do teste de detectar cânceres precoces e ainda precisamos explorar como ele pode funcionar em um cenário real de rastreamento do câncer".

Fonte: IFL Science



Compartilhar no Facebook