Essa droga promove a perda de peso como nenhum remédio jamais visto, dizem os cientistas!

Descobriu-se que um medicamento usado atualmente para tratar o diabetes reduz o peso corporal em até 20% em pessoas obesas. Depois de receber uma dose semanal do tratamento por 68 semanas, os participantes do estudo perderam uma média de 15,3 kg, com 35% perdendo mais de um quinto do peso corporal.

O estudo, que aparece no New England Journal of Medicine, envolveu 1.961 pessoas de 16 países da Europa, Ásia, América do Norte e América do Sul, com um peso corporal médio de 105 kg. Os participantes receberam 2,4 miligramas de um medicamento chamado semaglutida (marca comercial Ozempic) uma vez por semana, administrado por injeção subcutânea.

unnamed--8-

A semaglutida está atualmente aprovada em dosagens mais baixas como tratamento para diabetes tipo II, embora nenhum dos participantes deste estudo fosse diabético. Na 68ª semana, 86,4% dos participantes perderam 5% do peso corporal, enquanto 69,1% e 50,5% perderam 10% e 15% do peso corporal, respectivamente.

Dado que normalmente se recomenda às pessoas com obesidade que tentem perder entre 10 e 15% do peso corporal, esse resultado é altamente significativo.

Comentando esses resultados, a autora do estudo Rachel Batterham, que lidera o Center for Obesity Research da University College London, disse "As descobertas deste estudo representam um grande avanço para melhorar a saúde das pessoas com obesidade".

“Nenhuma outra droga chegou perto de produzir esse nível de perda de peso - isso é realmente uma virada de jogo. Pela primeira vez, as pessoas podem alcançar por meio de drogas o que só era possível por meio de cirurgia para perda de peso."

A semalgutida imita a ação de um hormônio denominado peptídeo-1 semelhante ao glucagon (GLP-1), que o intestino secreta na corrente sanguínea após uma refeição, a fim de estimular a sensação de saciedade e reduzir a fome. Juntamente com a dose semanal da droga, os participantes do estudo receberam aconselhamento regular de nutricionistas para ajudá-los a reduzir a ingestão de calorias e aumentar a atividade física.

Além de experimentar uma redução média do índice de massa corporal de 5,54, os participantes exibiram reduções nos fatores de risco para doenças cardíacas e diabetes, como circunferência da cintura, açúcar no sangue, gorduras no sangue e pressão arterial.

Screen-Shot-2018-02-27-at-4_27_08-PM

Com base nessas descobertas, a semaglutida foi agora submetida à aprovação das autoridades regulatórias de medicamentos britânicas, europeias e norte-americanas para aprovação como tratamento para a obesidade.

Apesar dessas descobertas extremamente encorajadoras, os autores do estudo admitem que a maioria de seus participantes era branca e feminina, e mais pesquisas podem ser necessárias para determinar sua eficácia em outros grupos de pacientes. Eles também observam que a semaglutida às vezes produz efeitos colaterais temporários, como vômitos e diarréia.

Vários especialistas médicos responderam a esse estudo extraordinário para saudar as descobertas e, ao mesmo tempo, pedir cautela. Por exemplo, Tom Sanders, professor emérito de nutrição e dietética no King’s College London, disse que “embora este estudo mostre que os pacientes em tratamento ativo perdem muito peso, ele não mostra o que acontece quando o tratamento é interrompido. O desafio após a perda de peso é evitar a recuperação do peso.”

Ele prossegue dizendo que a semaglutida não deve ser considerada uma “bala mágica” para a obesidade e que mudanças comportamentais de longo prazo, como exercícios e dieta melhorada, ainda serão necessárias para aqueles que tentam perder peso.

Fonte: IFL Science



Compartilhar no Facebook