"Espasmo na coluna": saiba como ocorre o problema que tirou Marcelo do jogo contra a Sérvia!

Quando o Marcelo, lateral-esquerda da seleção brasileira, abandonou o campo no início da partida contra a Sérvia com as mãos nas costas e sem poder andar direito, os brasileiros se assustaram. Logo, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou: Marcelo teve um espasmo muscular na região das costas.

Isso significa, segundo o médico ortopedista Lúcio Ernlund, que o músculo fez uma ação de contração de forma involuntária. A contratura muscular, termo técnico desse espasmo, acontece quando o músculo faz a contração tentando um movimento, mas se dá de forma incorreta.

csm_BRASIL-Marcelo-machucado-PatrikStollarz-AFP_5871b965d3

Por não voltar ao normal, no estado de relaxamento, surge a dor intensa e a incapacidade de se mexer.

“O exemplo mais clássico de contratura muscular é a contratura no pescoço, ou o torcicolo. É como se fosse um torcicolo, mas nas costas. Nessa região ele não tem um nome específico, como no pescoço, mas é o mesmo processo”, explica Ernlund, que é diretor do Instituto de Joelho e Ombro, em Curitiba, e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte (SBRATE).

Recuperação

Da mesma forma como surge o espasmo, segundo o especialista, o músculo relaxa e volta a funcionar de forma plena.

“Normalmente são questões simples, que uma medicação para dor e um relaxante, além de calor local e fisioterapia, massagem no local dão conta. A tendência é de uma melhora rápida. Como o jogo do Brasil é só na próxima semana, dá tempo de o Marcelo se recuperar”, tranquiliza Erlund.

Atletas x sedentários

Não só os atletas de alto rendimento estão suscetíveis a esse tipo de incômodo. A contratura muscular pode surgir nos dois extremos: atletas, mas também nos muito sedentários.

“O sedentário, aquele sem preparo físico nenhum, mas que dá uma corrida, ou tenta levantar o sofá da sala sem fazer o movimento correto, ou tenta fazer um esforço maior do que está preparado. Aí faz uma contratura muscular”, explica Lúcio Ernlund.

O tratamento, para ambos os casos, é a medicação contra a dor, relaxante, compressas quentes e fisioterapia. “Não tem gravidade, mas tem muita dor. Os dois, tanto atleta, quanto o sedentário, podem ter o mesmo quadro”, reforça.

Fonte: Gazeta do Povo



Compartilhar no Facebook