Esclerose Múltipla: Novo Medicamento BLOQUEIA a Doença durante 1 Ano!

Um ensaio clínico de fase II revelou que o Evobrutinib é o primeiro medicamento de uso oral capaz de inibir a molécula tirosina quinase de Bruton (BTK), e assim reduzir durante 1 ano (48 semanas) as lesões cerebrais ativas nos pacientes diagnosticados com esclerose múltipla recorrente. Os resultados, que foram publicados na revista médica New England Journal of Medicine, foram observados em exames de ressonância magnética.

600-doctor-Xavier-Montalban

A pesquisa foi liderado por Xavier Montalban, diretor do Centro de Esclerose Múltipla da Catalunha (Cemcat), e apresentado na reunião anual da Academia Americana de Neurologia na Filadélfia, nos Estados Unidos, o mais importante em todo o mundo nesta área.

esclerose-multipla_thinkstock--1-

Durante os testes foi possível reduzir o número de lesões cerebrais já na 12ª semana de tratamento. Montalban também ressaltou que, durante esta segunda etapa, o efeito perdurou por até a 48ª semana.

Esse é primeiro tratamento oral que demonstra que a inibição da molécula BTK tem um efeito positivo na esclerose múltipla recorrente (MSD), bloqueando as células que atacam a mielina, a substância que reveste os neurônios.

Latest-Data-on-Evobrutinib-New-MS-Therapy-Targeting-B-Cells

“A molécula de BTK tem um mecanismo duplo que, por um lado, inibe a atividade dos linfócitos B e, por outro, afeta a imunidade inata”, disse o Dr. Montalban.

A segunda fase do ensaio durou um período de 52 semanas. Foram avaliados pacientes com idade entre 18 e 65 anos, que sofreram as maiores recidivas da doença.

“Com duas doses diárias de 75 mg de Evobrutinib, 79% dos participantes não sofreram recaídas durante as 48 semanas de tratamento”, disse a equipe de especialistas.

Fonte: Multiple Sclerosis News Today

MedicalXpress

Nation



Compartilhar no Facebook