Dose Diária de ASPIRINA pode Reduzir Aumento de Tumor Cancerígeno!

Há muitos anos, os médicos recomendam uma dose diária de aspirina para prevenir doenças cardiovasculares e agora os pesquisadores dizem que o mesmo tratamento pode frear o crescimento de tumores cancerígenos, de acordo com um artigo publicado nesta segunda-feira (6) pela revista acadêmica Carcinogenesis.

A aspirina, ou AAS (ácido acetilsalicílico), é um dos medicamentos mais utilizados em todo o mundo e tem sido utilizado há décadas para tratar dor, febre e inflamação.

thuocaspirin1414205786859

Nos Estados Unidos, uma dose baixa de aspirina é recomendada diariamente para pessoas acima de 50 anos, com risco superior a 10% de contrair doenças cardiovasculares.

"Alguns acreditam que a aspirina é um 'medicamento milagroso' devido ao seu potencial para a prevenção de doenças resultantes de inflamação crônica, como câncer, alzheimer, parkinson e artrite", disse Ajay Goel, principal autor do estudo e reitor da Departamento de Diagnóstico Molecular, Terapêutica e Oncologia Translacional no centro particular de pesquisa clínica City of Hope, na Califórnia.

"A razão pela qual a aspirina não é usada atualmente para prevenir essas doenças é porque a ingestão de qualquer anti-inflamatório corrói a camada mucosa do estômago e causa problemas gastrointestinais", explicou Goel.

Ele afirmou que está próximo de saber qual é a dose exata diária para o tratamento e prevenção do câncer.

"Estamos mais próximos de descobrir a quantidade exata de aspirina diária necessária para o tratamento e prevenção do câncer colorretal sem causar efeitos colaterais prejudiciais".

Goel e seus colegas testaram três doses diárias diferentes de aspirina em quatro linhas de células de câncer de cólon e retal, incluindo tumores com instabilidade e mutações no gene PIK3CA, que tem sido associado a um risco aumentado de câncer endometrial, cólon e de mama.

Em seguida, os pesquisadores separaram 432 ratos em quatro grupos: um controle, outro com uma dose de aspirina de 15 mg por kg de peso; outro com uma dose de 50 mg/kg; e mais um com uma dose de 100 mg/kg.

Para uma pessoa, estas doses são equivalentes a 100 mg, 300 mg e 600 mg de aspirina diariamente.

Os cientistas analisaram os tumores de três ratos em cada grupo de tratamento no terceiro, quinto, sétimo, nono e 11º dias do estudo.

aspirina-pilula-remedio-10102018123948681

Quando consideraram a apoptose celular — a mortalidade celular esperada e causada naturalmente pelo mesmo organismo —, descobriram que a porcentagem de células mortas havia aumentado em todas as linhas celulares, e que a quantidade dependia da quantidade de aspirina consumida.

Isto, de acordo com o artigo, sugere que a aspirina inicia um feito dominó da morte celular em todas as linhas celulares colorretais, independente do fundo genético.

O próximo passo nesta pesquisa é determinar a dose de aspirina que pode ser usada diariamente para prevenir a doença sem causar efeitos como hemorragias estomacais e cerebrais.

Fonte: Notícias R7



Compartilhar no Facebook