Dificuldade de ler legenda na TV foi 1º sinal de doença neurológica incurável em atriz!

A atriz Ana Beatriz Nogueira revelou que tem esclerose múltipla (EM), doença sem cura que é caracterizada por agressões autoimunes ao sistema nervoso. O primeiro sinal surgiu em 2009, quando a artista notou uma alteração pouco comum na visão.

Em entrevista à colunista Patrícia Kogut, do Jornal O Globo, Ana Beatriz revelou que o **primeiro surto "Caminho das Índias", da TV Globo.

ana-beatriz-nogueira_18ecb7c9a5d1e8c213f34a74977cf320d84a4e82

No episódio, a atriz ficou com visão dupla enquanto assistia a um filme legendado. "Achei que a legenda estava ruim, mas, no dia seguinte, não tinha melhorado e procurei um médico. Ele disse que isso se chama diplopia e poderia ter inúmeras causas", contou ela, que logo foi erroneamente informada de que o problema era efeito colateral de um medicamento para dormir que tomava.

A visão da artista voltou ao normal após 15 dias, mas o problema voltou a incomodar meses depois. Em uma cena da trama, Ana Beatriz tinha de levar uma garrafa de bebida para Vera Fischer, mas foi atrapalhada pela vista dupla e embaçada que a fazia ver "duas Veras".

259-Vision_problems

Na segunda vez em que procurou auxílio médico, foi submetida a exames diversos e complexos que apontaram para a esclerose múltipla, mas fora informada que o diagnóstico não passava de um "falso positivo", ou seja, um erro que indica a presença de uma doença que não existe.

Descoberta da doença

Novamente, os sintomas sumiram e só retornaram meses depois, mas de uma maneira mais grave. "O último surto foi mais angustiante: eu não enxergava nada. Mas, ainda bem que àquela altura eu tinha encontrado uma médica que fez o diagnóstico definitivo", explicou a atriz em referência à neurologista que confirmou a EM.

Apesar do baque inicial, ela descobriu que possui uma forma branda da doença e com melhor prognóstico. De lá para cá, a famosa concentra suas forças no trabalho que tanto ama e adota um estilo de vida mais regrado, com horários específicos para os remédios e ginástica.

"Não estou doente, tenho uma doença. Gosto de ver a esclerose múltipla como uma característica. Muita gente tem medo de falar, com receio de virar 'café com leite' na vida. Mas quem controla a vida?", indagou.

Esclerose múltipla ataca os nervos

esclerose-mc3baltipla

Segundo o neurologista Ricardo Novis, da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro, esclerose múltipla é uma doença que faz o corpo destruir o próprio revestimento dos nervos, de modo a danificar os impulsos nervosos enviados pelo cérebro para outras áreas do corpo e prejudicar diversas funções.

Sintomas

Assim como na esclerose de Ana Beatriz Nogueira, há surtos que fazem com que o paciente ora sinta alterações, ora não. O grande problema é que, em alguns casos, há sequelas permanentes.

As sintomas de esclerose múltipla mais comuns incluem alterações motoras, como formigamento, sensação de dormência ou queimação; cansaço, especialmente sob calor ou esforço; estados mentais alterados, como depressão ou ansiedade; mudanças na fala; dificuldade de visão; redução do equilíbrio e/ou da coordenação; falta de memória; e dores que afetam as costas, olhos, quadris, membros e rosto.

Controle

Embora não tenha cura, a esclerose múltipla pode ser controlada, ou pelo menos ter seu avanço retardado, por meio do tratamento adequado.

Os cuidados incluem medicação anti-inflamatória e com corticoides, atividade física e terapias, como fisioterapia, fonoaudiologia e terapia ocupacional. Uma opção mais recente é o inovador tratamento com transplante de células-tronco.

Fonte: Vix



Compartilhar no Facebook