CUIDADO: são descobertas 3 Doenças em Crianças ligadas ao Uso do Celular durante a Gravidez!

O estudo, citado pelo site do Clarín, é o “maior feito até agora sobre o comportamento mãe e filho”, e demonstrou que mulheres grávidas que usam seu celular com uma frequência média e maior que a média colocam em risco o desenvolvimento de seus filhos.

movil-embarazada1-z

De acordo com a mesma fonte, mais de 85.000 mulheres participaram do estudo realizado em 5 países, sendo a Espanha o único país de língua espanhola participando juntamente a Dinamarca, Coreia, Holanda e Noruega.

Problemas de saúde que os filhos destas mães apresentam

Os dados coletados foram parte do projeto europeu, GERoNIMO, sobre os efeitos dos campos eletromagnéticos na saúde, chegando à conclusão de que os filhos das mulheres que usam seus celulares com uma frequência média ou elevada durante a gestação sofrem de problemas dehiperatividade, déficit de atenção e/ou dificuldade emocional.

Resultados alarmantes

Conforme relatado, 39% das mulheres recrutadas para o estudo NÃO usaram seu celular durante a gravidez (elas foram recrutadas durante 1996 e 2002), o outro grupo de mulheres que constituiu 29% delas, usou o celular escassamente; 27% o usou regularmente e 5.7% o usou com muita frequência.

Sua autora e pesquisadora da ISGLobal, Laura Birks, disse que os resultados mostram “uma evidência consistente de risco de problemas de hiperatividade e falta de atenção por uso médio e elevado do celular por parte das mulheres durante a gravidez”.

Resultado final de todas as crianças que nasceram destas mães

70717-9868041-1

Como resultado final, das crianças participantes (filhos das mulheres recrutadas para a pesquisa) e filhos das mães que usaram o celular com maior frequência, 6,6% demonstraram dificuldades comportamentais gerais, 8,3% mostrou sintomas de hiperatividade e problemas para se concentrar, enquanto 12% demonstraram problemas emocionais.

A radiação do seu celular pode afetar a formação do seu bebê no seu útero?

Embora esta questão ainda esteja sendo investigada e suponha-se que pode haver efeitos na formação de um bebê, ainda não há uma unanimidade quanto aos resultados.

A maioria de nós usa o celular como um meio de comunicação e também como um meio de obter informação fazendo com que estejamos presas a ele a maior parte do tempo sem saber se estamos causando algum dano aos nossos filhos.

O portal What To Expect, expõe que a maior causa do porquê não se saber com certeza o dano que um celular pode causar a um bebê em formação, é porque ninguém “aproximaria intencionalmente um feto humano ao celular expondo-o para saber qual é o seu efeito”.

É extremamente importante nos prevenirmos

O fato de que não se sabe com certeza não quer dizer que não seja ruim para a formação fisiológica do bebê. Por outro lado, sabemos que é ruim para o desenvolvimento emocional e mental do bebê, por isso é importante que tomemos medidas sobre o assunto e que deixemos nossos celulares de lado assim como deixamos os remédios que podem ser prejudiciais, os maus hábitos e os vícios, pelo menos durante o período da gravidez.

Recomendações

É recomendado diminuir o uso do celular e tomar cuidado com onde o guardamos (não o deixe no bolso da calça, dentro do sutiã esportivo ou em locais em contato com a área da pelve e abdômen).

De acordo com um artigo publicado na UKOM, as mulheres têm excedido o tempo gasto no celular em comparação aos homens. O estudo com base no Reino Unido, concluiu que 49% do tempo que uma mulher passa usando a internet é no seu celular.

Você pode criar metas para não usá-lo em determinados períodos de tempo e usá-lo apenas para as coisas que precisam da sua atenção imediata. Tente ter menos aplicativos em seu celular, pelo menos durante a gravidez, isto irá diminuir consideravelmente o tempo que você passa presa ao seu celular.

Lembre-se que o que você fizer durante a gravidez irá impactar a vida de um ser inocente para sempre!!!

Fonte: Família.com.br



Compartilhar no Facebook