Crianças que passam mais tempo Descalças têm uma estrutura de pés mais saudável - tornando-as mais fortes, mais atléticas e mais resistentes a lesões!

Os humanos andaram descalços por milhões de anos. As pessoas começaram a usar sapatos apenas nos últimos séculos. No entanto, uma pesquisa recente mostra que o uso de calçados entre as crianças não é universal.

Crianças e adolescentes alemães passam a maior parte do dia com sapatos, enquanto cerca de 90% de seus colegas sul-africanos andam descalços.

4EC44F5100000578-0-image-a-7_1533217792679

Além das diferenças climáticas óbvias, é tentador pensar que a classificação econômica mais baixa da África do Sul, comparada com a da Alemanha, é a principal razão para a ausência de calçados. Mas esse raciocínio foi desafiado pelos resultados de recente pesquisa.

Pesquisadores reuniram informações sobre os hábitos de calçados de 714 meninos que freqüentam uma escola secundária em uma parte rica de Auckland, Nova Zelândia. Quase metade dos estudantes (45%) passou a maior parte do tempo descalça. Muitos dos estudantes neste estudo estavam até dispostos a percorrer distâncias de 100 a 3.000 metros em uma superfície dura sem sapatos.

Estrutura do pé

Diferenças na estrutura do pé entre aqueles que nunca usaram sapatos e aqueles que estão normalmente com sapatos foram descritas há mais de um século. Em um estudo seminal de 1905, Phil Hoffman, alertou como colocar os desejos da moda dos clientes acima da saúde de seus pés levaram ao design de sapatos "que mais ou menos apinham a parte da frente do pé".

Calo-diagn-stico-de-dores

O principal resultado no desenvolvimento dos pés daqueles que usam sapatos parece ser um pé mais estreito e um arco mais baixo. E isso provoca uma pressão mais concentrada no calcanhar e na bola do pé durante o movimento.

Por outro lado, aqueles que crescem descalços têm os pés mais largos e têm uma distribuição mais uniforme da pressão para a borda externa do pé e para os dedos dos pés.

Não sabemos o efeito que o uso de sapatos tem no desenvolvimento de habilidades de movimento, ou o risco de lesões no esporte, mas a lógica sugere que crescer descalço é uma coisa boa.

O calcanhar do pé é altamente sensível à dor, o que significa que quando as pessoas correm descalças, elas tendem a evitar o pouso no calcanhar e, em vez disso, adiam a pressão para o meio e para o antepé. Isso permite que uma área de superfície mais ampla absorva a força.

Para evitar um golpe no calcanhar, o pé nunca deve estar muito longe na frente do corpo. Como resultado, os corredores descalços tendem a ter um passo mais curto.

4eb0a0faa830bc277da48c69ba43b187--shin-splints-the-benefits

Um passo mais curto precisa de menos extensão de perna, e é por isso que os corredores descalços têm maior inclinação no joelho e um pé mais pontudo em direção ao chão.

Essas articulações permitem que os músculos ao redor do joelho ajudem a controlar a aterrissagem e permitam que o tornozelo se comporte de maneira mais semelhante à de uma mola.

E tudo isso ajuda a comprovar o benefício de andar sem sapatos sempre que possível, e desde cedo!

Fonte: Daily Mail



Compartilhar no Facebook