Criança morre após pai utilizar Compressas de “Álcool” para baixar a febre e médicos alertam!

Em um caso que ocorreu em Shenzhen, Dongguan, na China, um pai, identificado apenas como Chang, provocou a morte de seu filho, Xiao Dong, de apenas dois anos, após utilizar uma compressa de álcool para baixar a febre da criança.

Na esperança de reduzir a temperatura corporal de Dong, o pai utilizou álcool para fazer uma compressa nas axilas da criança, que em seguida desmaiou. Inconsciente, ele foi levado às pressas a um hospital em Shenzhen, mas morreu no dia seguinte por intoxicação de metanol.

00648ef0e6982e4b6848d7fb247cb18e

Segundo o médico do caso, Ma Weike, quando chegaram ao hospital, os pais da criança não sabiam que o álcool teria causado o desmaio. “Eles pensaram que a febre tinha o feito perder a consciência”, disse.

“Os pais acreditaram que o álcool poderia ser usado para baixar a temperatura do corpo, mas não perceberam que uma dosagem alta, estimada em um litro de álcool industrial, poderia ser fatal”.

Ao contrário do que eles pensavam, metanol não é o mesmo que etanol. O etanol sim, é um álcool usado tanto em utilidades domésticas como em bebidas alcoólicas. Já o metanol é tóxico para nós humanos, e é usado apenas em processos industriais.

6czlfnbh19_8ayg2v5kic_file

O episódio, segundo o professor de pediatria da Faculdade da Santa Casa de São Paulo, Marco Aurélio Safadi, serve de alerta para outros pais, embora não se saiba ao certo até que ponto o álcool contribuiu para morte do menino chinês. No entanto, ele salientou que a prática não é recomendada.

“Infelizmente, ainda existem muitas mães que acreditam que a compressa de álcool baixa a febre”, disse. “No entanto, é um procedimento que traz riscos e não deve ser feito. Pode causar queimaduras na pele na criança e, como o álcool é volátil, pode ser inalado e intoxicar a criança. Esses efeitos contraindicam formalmente essa prática”.

Segundo ele, outro erro muito comum envolve os banhos frios com álcool, que além de provocar desconforto, provocam tremedeiras. O método pode levar a um efeito conhecido como rebote, que causa vasoconstrição periférica, elevando ainda mais a temperatura.

“Febre não é um bicho de sete cabeças, mas caso haja necessidade de uma intervenção, até que o antitérmico aja, a mãe pode lançar mão do banho, mas um banho morno, que não gere desconforto na criança”, explicou. “Álcool, é bom salientar, é contraindicado e não baixa a febre”.

2a36aa36aaa01128c9f014cdae483a6806c64cdc

Atualmente, a maioria dos pediatras recomenda que a febre só seja medicada se a temperatura for superior a 37,8°C. Segundo a enfermeira Anne Lima, especialista em medicina antroposófica, é possível aliviar os sintomas e modular a temperatura do corpo com compressas de limão nas pernas.

c7325c904043cd65a4ec7b1742d48794

“Este procedimento alivia temporariamente os sintomas desagradáveis sem impedir que a febre faça seu papel sanador”, disse. “Para fazer a compressa é preciso duas faixas de aproximadamente 20 cm de tecido de algodão, 1 limão com a casca (o óleo etéreo presente na casca é muito importante), uma tigela média, água morna, plástico para proteger o colchão e uma toalha grande”.

Segunda ela, o procedimento é bem simples. Basta colocar a água na bacia ou tigela, cortar a metade do limão com casca dentro da água e reservar a outra metade. Depois, esprema o limão e deixe-o dentro da água com a casca. Em seguida, enrole as duas faixas como ataduras e coloque-as dentro do recipiente. Torça-as levemente, uma de cada vez, e depois envolva as pernas, começando abaixo da linha do joelho até os pés. Nunca envolva os pés antes de aquecê-los com massagem, se estes estiverem muito frios.

Em seguida, mantenha as faixas até elas aqueceram. Isto demonstrará que o calor se deslocou para a região onde deve predominar. Repita o procedimento quantas vezes forem necessárias, sempre renovando a água e o limão. Ao final, seque os pés e pernas e os cubra com uma meia, colocando duas rodelas de limão (com casca) no centro do pé.

Compartilhe essa dica!

Fonte: Jornal Ciência



Compartilhar no Facebook