COVID: Pesquisas mostram que Ambiente Externo apresenta Risco Insignificante de Contágio!

Várias pesquisas têm revelado que a transmissão viral do Sars-Cov-2 em ambientes externos é praticamente insignificante. Na Irlanda, um estudo mostrou que somente um caso confirmado de Covid-19 em cada mil é rastreado por transmissão externa.

Segundo o jornal irlandês Irish Times, dos 232.164 casos de Covid-19 registrados no país até 24 de março deste ano, apenas 262 foram em decorrência de transmissão externa, ou seja, 0,1% do total, um índice considerado baixíssimo.

ontario-begins-appointment-based-covid-19-testing-system

De acordo com o Centro de Vigilância de Proteção à Saúde (HPSC), que monitoriza o número de casos na Irlanda, 20% de todos os casos resultam de transmissão na comunidade cuja fonte da infecção é desconhecida.

O estudo irlandês também confirma outros dados internacionais. Uma pesquisa sobre 1.245 casos na China revelou que apenas 3 pessoas que conversavam sem máscara foram infectadas ao ar livre.

Encontros ao ar livre são seguros

Uma revisão feita pela Universidade da Califórnia, a partir de cinco estudos globais de transmissão, mostrou que as chances de ser infectado pelo Sars-Cov-2 em um ambiente interno é 19 vezes maior do que ao ar livre.

couple_picnic_at_sunset_tGCp4Uc.width-793

O professor Mike Weed, da Universidade de Canterbury, estudou 27.000 casos de Covid-19 com base em 6.000 dados diferentes. Uma das amostras foi de 7.500 casos na China e no Japão antes do lockdown em ambos os países. A conclusão da pesquisa foi que o número de casos associados à transmissão externa foi “tão baixo que era insignificante”.

Weed defende que os encontros ao ar livre são seguros se houver uma “gestão de risco” adequada:

“Nossa conclusão é que em muitos setores, e para muitos tamanhos e formatos, deve ser possível implementar mitigações baseadas em evidências adequadas para realizar eventos e atividades ao ar livre de uma forma que não aumente o risco de transmissão esporádica”.

O professor de bioquímica Ed Lavelle, do Trinity College Dublin, também corrobora essas estatísticas. Segundo o especialista, as atividades externas são inerentemente seguras. Ele, por exemplo, é a favor de que lanchonetes com varanda funcionem.

Assim como a fumaça

Entretanto, é preciso alertar que, ainda que o risco de transmissão em ambientes externos seja baixo, as pessoas devem manter uma distância física, usar máscara e tomar cuidados no uso de transporte e banheiro públicos.

merlin_172525647_226f7542-292f-41ac-bd72-7290eea08d80-articleLarge

A explicação sobre o baixo risco de infecção ao ar livre é que o vírus é soprado e diluído na brisa, assim como a fumaça de cigarro. Isso, claro, se as pessoas estiveram usando máscara e não estiverem conversando muito próximas umas das outras.

Fonte: Green Me



Compartilhar no Facebook