Café realmente impede o crescimento das crianças?

Uma das razões pelas quais o café geralmente não é oferecido às crianças pode ser a crença amplamente difundida de que a bebida com cafeína pode retardar o crescimento das crianças.

Mas existe alguma verdade nessa ideia? A resposta é um "não" retumbante: não há evidências de que o café ou a cafeína atrapalhem o crescimento e o desenvolvimento infantil!

boy-drinking-coffee

Em vez disso, a altura de uma pessoa é amplamente governada por outros fatores. Por exemplo, acredita-se que centenas de genes identificados até agora sejam responsáveis por aproximadamente 16% da altura adulta de uma pessoa.

A saúde geral da criança também desempenha um papel. Por exemplo, infecções repetidas durante a infância podem retardar a absorção nutricional e o crescimento ósseo, conforme demonstrado por vários estudos diferentes.

Além disso, se uma criança tem acesso a necessidades alimentares importantes, como leite, durante os primeiros anos também influencia a altura, assim como a dieta da mãe durante a gravidez, de acordo com uma pesquisa da revista Nutrition Research Reviews.

Então, por que algumas pessoas ainda acreditam que o café pode impedir o crescimento de uma criança? Ninguém sabe realmente, mas existem algumas teorias.

Na década de 1980, vários estudos sugeriram que os consumidores regulares de café apresentavam um risco aumentado de osteoporose porque a cafeína pode levar ao aumento da excreção de cálcio (embora o efeito tenha sido pequeno).

Se a cafeína fosse capaz de enfraquecer os ossos, era concebível que um consumo mais alto na infância resultasse em uma estatura mais baixa. No entanto, descobriu-se que havia outra variável em jogo: os bebedores de café também tendiam a consumir menos leite, uma importante fonte de cálcio. Em outras palavras, provavelmente não era o café, mas sim o cálcio insuficiente, causando o problema.

Além disso, pesquisas posteriores não encontraram nenhuma ligação entre a osteoporose e o consumo de café, de acordo com a Harvard Health Publishing.

Outra ideia é que muitos estudos relacionaram o consumo de cafeína com efeitos positivos e negativos para a saúde, apenas contribuindo para a confusão. "Existem tantos estudos epidemiológicos do café, indicando o bem ou o mal, que é confuso", disse Mark Pendergast, autor de Uncommon Grounds: The History of Coffee and How It Transformed Our World (Basic Books, 2019).

Outra teoria, defendida por Duane Mellor, nutricionista da Aston University, no Reino Unido, é que o mito se origina da recomendação de que mulheres grávidas limitem o consumo de cafeína porque algumas pesquisas relacionaram a exposição do feto à cafeína a um risco maior de aborto espontâneo.

Esses estudos, no entanto, são limitados por pequenos tamanhos de amostra. As evidências são inconclusivas no momento, então grupos de saúde como a Organização Mundial da Saúde agora aconselham mulheres grávidas a limitar (mas não necessariamente evitar completamente) o consumo de cafeína para reduzir o possível risco de perda de gravidez e baixo peso ao nascer em bebês.

cofeedrinker-front

Portanto, a ciência é clara: o café não impede o crescimento das crianças. Na verdade, é provavelmente mais saudável para seu filho beber uma xícara fraca de café do que um refrigerante açucarado que apodrece os dentes, disse Mellor.

"Um café fraco provavelmente não é grande coisa", disse Mellor ao Live Science. "Algumas das notas amargas nos cafés são compartilhadas pelos vegetais, e você pode até ver uma vantagem em acostumar as crianças com esses sabores. Obviamente, você não gostaria de lhes dar um café forte, mas realmente os pais devem se preocupar mais com as bebidas doces."

Mas Mellor também não aconselha dar a seu filho um café expresso duplo todas as manhãs. E por um bom motivo: moderação é a chave. A cafeína pode causar aumento da ansiedade, pressão alta e refluxo ácido, e também pode interferir no sono, de acordo com a Johns Hopkins Medicine.

A cafeína do café também pode causar esses problemas em adultos, é claro. Mas as crianças têm corpos menores, então as mesmas quantidades de cafeína podem ter efeitos mais pronunciados nelas, também de acordo com a Johns Hopkins Medicine. Por esse motivo, a Academia Americana de Pediatria recomenda que as crianças se abstenham e os adolescentes limitem o consumo de café.

Apesar das evidências, esse mito do café provavelmente não vai desaparecer tão cedo. "O mito difundido de que isso impede o seu crescimento não vai morrer completamente", disse Pendergast ao Live Science. **"Uma vez que um mito da saúde entra em nossa cultura, é muito difícil erradicá-lo."

Fonte: Science Alert



Compartilhar no Facebook