1 em cada 3 sobreviventes de COVID-19 têm problemas neurológicos ou psiquiátricos dentro de 6 meses!

Desde o início da pandemia, tem havido evidências cada vez maiores de que o COVID-19 pode ter consequências de longo prazo para a saúde, à medida que chegam relatórios de pessoas que sofrem de efeitos debilitantes meses após serem infectadas.

Agora, um dos maiores estudos desse tipo, avaliando mais de 230.000 pessoas nos Estados Unidos, descobriu que 1 em cada 3 sobreviventes do COVID-19 recebeu um diagnóstico neurológico ou psiquiátrico dentro de seis meses após ter a infecção.

shutterstock_1815354149

As descobertas, publicadas no The Lancet Psychiatry, também confirmaram que os pacientes com COVID-19 são mais propensos a sofrer de doenças cerebrais em comparação com os pacientes que sofriam de outras doenças do trato respiratório.

“Esses são dados do mundo real de um grande número de pacientes. Eles confirmam as altas taxas de diagnósticos psiquiátricos após COVID-19 e mostram que doenças graves que afetam o sistema nervoso (como acidente vascular cerebral e demência) também ocorrem. Embora os últimos sejam muito mais raros, eles são significativos, especialmente naqueles que tiveram COVID-19 grave", disse o autor principal, Professor Paul Harrison, do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Oxford, em um comunicado.

“Embora os riscos individuais para a maioria dos distúrbios sejam pequenos, o efeito em toda a população pode ser substancial para os sistemas de saúde e assistência social devido à escala da pandemia e ao fato de muitas dessas condições serem crônicas. Como resultado, os sistemas de saúde precisam de recursos para lidar com a necessidade prevista, tanto nos serviços de atenção primária quanto secundária.”

O novo estudo analisou registros eletrônicos de saúde de 236.379 pacientes com COVID-19 dos EUA e comparou os resultados com duas outras coortes, 105.579 pacientes com diagnóstico de influenza (gripe) e 236.038 pacientes com diagnóstico de qualquer tipo de infecção do trato respiratório.

Eles descobriram que 34% dos pacientes com COVID-19 foram diagnosticados com uma condição neurológica ou psiquiátrica dentro de 6 meses após a infecção. Para 13% desses pacientes, foi o primeiro diagnóstico neurológico ou psiquiátrico. As condições psiquiátricas mais comuns foram transtornos de ansiedade, seguidos por transtornos de humor, transtornos de abuso de substâncias e insônia. Embora os desfechos neurológicos tenham uma incidência menor, foram relatados desfechos de hemorragia cerebral, acidente vascular cerebral isquêmico e demência.

14-mentalhealth

Comentando sobre os resultados do artigo, o professor Sir Simon Wessely, Cátedra Regius de Psiquiatria do King’s College London, disse: “Este é um artigo muito importante. Ele confirma, sem qualquer dúvida, que COVID-19 afeta o cérebro e a mente em igual medida. Alguns já eram conhecidos - por exemplo, aumento das taxas de acidente vascular cerebral e também transtornos de ansiedade. Outros nem tanto - demência e psicose, por exemplo."

Levando em consideração idade, sexo, etnia e condições de saúde existentes, a pesquisa também descobriu que os pacientes com COVID-19 tinham um risco 44% maior de doenças neurológicas ou psiquiátricas em comparação com a gripe normal.

Fonte: IFL Science



Compartilhar no Facebook