Perca Peso Agora

Você sabe o que são "Firmicutes e bacteriodetes"?

Não são animadoras de programas de tevê, apenas bactérias intestinais que têm papel promissor na luta contra a obesidade.

Firmicutes e bacteriodetes atuam no processo digestivo de alguns animais e já criaram fama por conta de uma nova teoria que tenta ligá-las à obesidade. Para os pesquisadores, quando estão em desequilíbrio, havendo predominância das firmicutes, é certo que haverá aumento de peso.

A razão é simples: as firmicutes podem converter carboidratos complexos, que usualmente não digerimos, em açúcares simples como a glicose. Com isso, o alimento que eliminaríamos sem ser digerido é absorvido e utilizado para gerar mais gordura.

A teoria foi testada em cobaias – um grupo com bactérias intestinais normais, outro sem firmicutes. Os ratinhos submeteram-se a dieta rica em gordura e açúcares e os resultados surpreenderam: os pequenos roedores sem firmicutes permaneceram esbeltos.

Conclusão óbvia: as firmicutes ajudam a elaborar um excesso de calorias que irá se depositar como gordura.

Você sabia que neste exato momento acontece uma batalha na sua barriga? Dentre os fatores que estão em jogo nesta batalha está o tamanho da sua “pança”. Em nosso corpo há inúmeras bactérias que trabalham arduamente para decompor os alimentos enquanto eles passam pelos nove metros do nosso intestino. É normal ter micróbios bons e ruins no corpo. Mas eles precisam estar em equilíbrio (homeostase) para que todas as funções do organismo ocorram perfeitamente.

Pesquisas realizadas na Escola de Medicina da Universidade de Washington revelaram que a diversidade e o equilíbrio desses soldados microscópicos podem favorecer a perda de peso.

Cientistas descobriram que pessoas acima do peso têm menor variedade de bactérias intestinais do que as magras. Quem está acima do peso também possui um desequilíbrio desses microrganismos.

Segundo pesquisa realizada pela Universidade Estadual de Campinas, a Unicamp, em São Paulo, obesos possuem maior número de um tipo de bactéria RUIM, chamada firmicutes, e menor quantidade de um grupo BOM, chamado bacteroidetes.

O americano Gerard Mullin, diretor do Setor de Nutrição e Gastroenterologia do Hospital da Universidade Johns Hopkins nos EUA, diz que a constituição harmoniosa desses micróbios ajuda na absorção dos nutrientes dos alimentos, aumenta a saciedade, regula o apetite e diminui a resistência à insulina. Tudo isso esta ligado à perda de peso.

Saiba mais:

  • Todas as fibras são boas para quem quer emagrecer. Elas diminuem a absorção de gordura e de carboidratos e nos faz sentirmos mais satisfeitos por mais tempo. Mas as fibras prebióticas trazem benefícios extras. Elas promovem o aumento das bactérias boas.

As fibras prebióticas não podem ser digeridas pelo estômago e intestino delgado e chegam intactas ao cólon, onde está a maior parte dos seus micróbios, e são um banquete para eles. No processo de decomposição dessas fibras pelos microrganismos, são produzidos gases e ácidos graxos de cadeia curta, que permitem a proliferação das bactérias úteis.

E de acordo com estudo publicado no The American Journal of Clinical Nutrition, esse processo também desencadeia a produção de hormônios que nos ajudam a sentirmos satisfeitos mais rápido.

Para manter a boa saúde intestinal, ingira de 8 a 10g de fibras prebiótica por dia. Se o objetivo é secar o “shape”, coma de 15 a 21 g do nutriente. Alcachofra (01 unidade) 5,5g; alho-poró (1/2xícara) 5,6g; aspargos (06 talos) 2,5g; macarrão (01 xícara) 2,5g; cebola (02 colheres de sopa) 2,1g; melancia (01 fatia) 0,9g; banana (01 unidade) 0,6g; alho (01 dente) 0,5g.

  • Vegetais ricos em antioxidantes (tomate, cenoura, brócolis, frutas cítricas) são bons para prevenir câncer e doenças cardíacas. E os benefícios não param por aí. Esses alimentos ainda reforçam as bactérias intestinais boas. Ao serem consumidos, eles também têm efeitos antibacterianos no seu intestino.

A boa noticia é que eles acabam somente com os micróbios ruins. Coma ao menos seis porções de frutas, legumes e verduras por dia para ingerir a quantidade necessária de antioxidantes. Estudos mostram que tomar uma xícara de chá-verde por dia aumenta as concentrações das bactérias que favorecem o emagrecimento.

  • Alimentos com grande quantidade de gordura saturada (algumas carnes vermelhas, queijos, sorvetes, bolos recheados, doces) são como bombas para suas bactérias aliadas. Estudo publicado na Revista Science (EUA) revelou que pessoas que comem mais gordura saturada têm maior número do tipo ruim de bactérias em comparação com as que ingerem menos esse nutriente.

Segundo a pesquisa a gordura saturada pode se manter intacta enquanto passa pelo intestino, então ela esmaga suas bactérias boas como um rolo compressor. Limite o consumo de gorduras saturadas, opte por alimentos que têm gorduras saudáveis, como abacate, nozes e azeite de oliva. Também prefira carnes brancas (frango, peixe) ou vermelhas magras.

  • Os micróbios do seu intestino não reagem apenas ao que você come. Alterações que seu organismo sofre quando está estressado também induzem ao desequilíbrio bacteriano. Isso significa que os bichinhos danosos passam a ter mais espaço, e os bons menos.

Em estudo realizado pela Universidade Estadual de Ohio (EUA), camundongos estressados sofreram baixas imediatas no nível das bactérias úteis e aumento no número das que contribuem para o ganho de peso. Praticar exercícios físicos regularmente é uma ótima maneira de combater o estresse. Isso porque, a atividade física estimula a produção de endorfina e serotonina, substâncias que trazem bem estar e ajudam a relaxar. Outra opção é malhar em parceria. Segundo pesquisa realizada pela Universidade de Pailey (Reino Unido), fazer sexo libera grande quantidade suficiente de ocitocina (hormônio ligado ao relaxamento) para aliviar o estresse por até 7 dias. Bactéria inteligente!!!

  • Seu intestino é como um ecossistema frágil. Se você começa a perder espécies de bactérias, o habitat sofre. O desequilíbrio entre os microrganismos bons e ruins prejudica as funções do corpo. As consequências disso podem ser diarreias, prisão de ventre, queda na imunidade, alteração no humor, aumento no nível do colesterol e ganho de peso.

Para evitar baixas no seu exército microscópico, invista em novas tropas. Inclua no menu microrganismos vivos que promovem o balanço da flora intestinal, como iogurtes e leites fermentados. Essas boas bactérias trabalham melhor quando consumidas diariamente.

Fonte: Dr. Rondó

Endocrino News



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook