Perca Peso Agora

Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre o "Pé Chato" em Crianças

É muito normal que os bebês tenham pés planos. O pé plano se define pela ausência do arco normal da planta dos pés das crianças.

Sem este arco, as crianças caminham apoiando toda a planta do pé no chão, quando deveriam apoiar somente a ponta, o calcanhar e a borda externa dos pés. Não é um problema grave, mas constitui uma das consultas mais frequentes em ortopedia infantil.

É muito normal que os bebês tenham pés planos. O acúmulo de gorduras, conciliada à debilidade dos ligamentos, fazem com que os pés dos bebês não apresentem o arco na planta dos pés.

O arco se desenvolve pouco a pouco à medida que a musculatura dos pés dos bebês vão se fortalecendo. É somente a partir dos 2 ou 3 anos de idade, quando a criança já leva um ou dois anos caminhando que se poderá notar o arco interno em seus pés.

Em alguns casos, os pais podem comprovar como aparece o arco somente quando a criança se põe na ponta dos pés. E em outros, pode-se ver o arco somente quando o pé da criança está apoiado. Tanto num caso como no outro, não é considerado normal, ainda que a criança não sinta dor.

Se a criança apresenta dor nos pés, dor no tornozelo ou dor na “batata” da perna, pode ser sintomas do pé “chato”. Nestes casos, os pais devem tirar suas dúvidas com o pediatra da criança, que irá avaliar se a criança precisa de atenção de um especialista ou não.

Um diagnóstico adequado só pode ser determinado quando a criança começar a dar seus primeiros passinhos.

Como corrigir o pé plano

Os pés planos das crianças podem ser corrigidos com tratamentos simples, tendo como base a realização de exercícios que favoreçam o fortalecimento da musculatura da planta dos pés, como caminhar descalço na areia, caminhar na pontinha dos pés e pelo calcanhar, fazer movimentos circulares com as pontas dos pés, tentar pegar objetos com os dedos dos pés.

Quando o “pé chato” é muito acentuado e flexível, pode provocar dores nas crianças. Além das dores, as crianças com pés planos podem sentir cãimbras musculares, assim como outros incômodos, por isso a necessidade de se levar a criança a um ortopedista infantil.

Em casos como esse, o ortopedista pode, além dos exercícios, recomendar o uso de palmilhas ou de calçados ortopédicos para diminuir a dor. Somente em casos de pés planos graves, que provocam dores e alterações na caminhada das crianças, pode-se aconselhar um tratamento cirúrgico pelo especialista.

Enquanto os ossos das crianças continuam crescendo, pode-se curar o pé plano. A idade máxima para reverter esse quadro é aos 15 anos.

O melhor calçado para o pé plano

Quando a criança começa, dos 9 aos 14 meses, a querer levantar-se sozinha, a apoiar-se nos móveis e em tudo o que possa para estar de pé, é aconselhável que considere alguns conselhos quanto ao calçado que a criança deve utilizar. Primeiro, que o calçado seja leve e feito de um material poroso. Segundo, que a sola do calçado seja plana, flexível, e que ofereça aderência. As laterais do calçado devem ser firmes e a ponta do pé de uma forma quadrangular, e não estreita. É preferível que tornozelo esteja livre e que troque os calçados antes que a criança se queixe de que seus dedos fazem pressão na frente.

É importante também saber que não se deve obrigar um bebê a caminhar antes do tempo. Isso pode representar um grande esforço para ele, e gerar alguns problemas.

Fonte: Guia Infantil



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook