Tomar Remédios para Azia e Refluxo pode levar os Rins à Falência, alertam estudos

Quem sofre constantemente de azia, queimação e refluxo certamente já tem como hábito utilizar remédios aparentemente inofensivos que causam alívio imediato para os incômodos gastrointestinais. Os inibidores da bomba de prótons, mais conhecido como Omeprazol e alguns derivados, podem levar os rins à falência se ingeridos em excesso, segundo estudos publicados nos EUA.

Uma pesquisa, que avaliou 173.321 pessoas que usaram o remédio e outras 20.270 que tomaram uma alternativa conhecida como bloqueadores do receptor de histamina H2, descobriu que grande porcentagem dos pacientes que tomava os inibidores passou a apresentar mais problemas renais do que aqueles que se tratavam com a histamina.

Os riscos de desenvolver insuficiência renal eram aumentados em até 96% entre os primeiros pacientes.

Outro trabalho científico ainda mais recente, publicado pelo site Medical Press, mostrou que mais da metade dos 125 mil pacientes avaliados no estudo desenvolveu danos renais crônicos ao tomar os medicamentos tradicionais.

Além disso, foi possível descobrir que os pacientes não sofriam problemas renais agudos antes do uso contínuo do remédio, o que significa que eles não estavam cientes de um declínio na função renal.

Os pesquisadores, portanto, alertam para que pacientes e médicos sejam mais vigilantes no monitoramento do uso desses medicamentos.

É comum encontrarmos pacientes tomam um IBP diariamente por vários meses ou anos, muitas vezes sem necessidade. Na maioria dos casos, medicamentos como omeprazol devem ser utilizados de forma pontual, por 4 a 6 semanas para o tratamento de problemas gástricos. Deve-se evitar o uso dos IBP por vários meses seguidos.

Eles não são assim tão inofensivos como muita gente pensa! Compartilhe essas informações para alertar os seus amigos que fazem uso desse tipo de medicamento quase que diariamente!

Fonte: Vix




Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook