Perca Peso Agora

Saiba qual é o "sinal secreto" de que você terá problemas cardíacos e como evitá-los

O seu médico simplesmente ama exames. Ele fará todos os exames de risco cardíaco. Ele jurará que todos os exames o ajudarão a entender o seu risco cardíaco. Mas, há um exame que faz a diferença. Um exame que é melhor do que todos os outros juntos: é o exame para a proteína C reativa, também conhecida como PCR.

Ela aparece quando você está com inflamação, silenciosamente pairando, não vista e não sentida, por anos antes de aparecerem os primeiros sinais de alerta de uma doença crônica em qualquer um daqueles outros exames.

Um estudo descobriu que a PCR alta aumentará o seu risco de ataque cardíaco, derrame e morte de uma doença cardíaca em 52% ao longo de cinco anos. Outro descobriu que ele aumentará o seu risco para o câncer em 30% – e se você já tiver esta doença, aumentará o seu risco de morte em 80%. Há até evidências de que a PCR pode auxiliar a prever a demência muito antes do seu primeiro “soluço” cerebral.

Se o seu resultado for de 1,0mg/L ou menos, você está numa boa – esse nível é quase perfeito! Abaixo de 3,0 considera-se normal e, acima, você está em alto risco. Isso significa que está na hora de arregaçar as mangas, pois você pode cortar a inflamação pela raiz e afastar o risco para sempre, e o melhor, sem usar nenhuma droga.

Os 5 principais redutores de PCR

Se você já estiver doente, pode-se reduzir a PCR. Se não estiver, você pode certificar-se de que ele nunca bata na sua porta. De qualquer maneira, a resposta é a mesma – concentre-se em aumentar a ingestão destes suplementos simples, seguros e completamente naturais, disponíveis em qualquer loja de suplementos vitamínicos decente:

1- Ômega-7: Você já ouviu falar dos ácidos graxos ômega-3 e provavelmente até sabe uma coisa ou outra sobre o ômega-6. Mas há OUTRO ômega por aí sobre o qual seu médico provavelmente não sabe muita coisa… pelo menos, ainda não. Mas logo, todos saberão sobre ele porque a mundialmente famosa Cleveland Clinic descobriu que o Ômega-7 pode cortar pela raiz a inflamação que destrói o corpo e causa doenças.

Em apenas 30 dias, os suplementos de Ômega-7, na forma de ácido palmitoléico, podem cortar o seu nível de PCR em 44%. Ele também pode aumentar o seu nível de HDL – a substância que até os médicos mais tradicionais chamam de colesterol “bom” – em 5%, e cortar o seu nível dos mortais triglicérides em 15%.

Mas, é aqui que você tem que tomar cuidado. O Ômega-7 frequentemente anda de mãos dadas com uma gordura perigosa, chamada ácido palmítico. A maioria dos suplementos de Ômega-7 é feita de plantas, que tem a quantidade mais alta deste companheiro fatal. Portanto, procure os suplementos de Ômega-7 feitos de peixe purificado, o que remove qualquer vestígio de ácido palmítico.

A propósito, o Ômega-3 também não nega serviço. Os bons, velhos e simples suplementos de óleo de peixe podem cortar o nível de PCR em 29%.

2- Glucosamina e Condroitina: Você conhece essas duas e pode já estar entre os milhões que dependem delas para aliviar a dor, especialmente a dor causada pelo desgaste da artrite nos joelhos. Mas elas podem fazer muito mais que amenizar a osteoartrite.

A artrite é uma doença inflamatória, e a glucosamina e a condroitina atacam a inflamação feito um tigre avançando em carne crua. Como resultado, um estudo recente descobriu que este par poderoso cortará o seu nível de PCR em quase um quarto em menos de um mês, comparado ao placebo.

3- Vitamina C: Básico? Pode apostar que sim! Mas este nutriente é, na verdade, um potente antioxidante e combatente de inflamação com o poder de derrubar a PCR. Apenas 500mg por dia corta o nível de PCR em 24% ao longo de dois meses, de acordo com um estudo.

Bem impressionado o suficiente? Não esteja. Você pode fazer melhor. Meras 500mg são praticamente nada, e uma quantidade maior indubitavelmente conduzirá a uma queda realmente impressionante na inflamação. Eu, geralmente, recomendo uma dosagem mais alta por dia para combater a inflamação e deixar o seu sistema imune em alerta.

4- Multivitamínico: Você está tomando um multivitamínico, certo? Se não estiver, então agora é a hora de começar. A sinergia dos ingredientes na sua mistura básica de vitaminas e sais minerais é, na verdade, um potente combatente de inflamação por si só. Quanto mais alto o seu nível de PCR, maior o benefício de derrubá-lo.

Em um estudo, metade dos pacientes com níveis de PCR altos – níveis acima de 3,0 – foram conduzidos de volta a um nível normal dentro de 6 meses. Aqueles que tomavam o placebo tiveram um aumento nos seus níveis de PCR. O benefício médio entre aqueles que tomavam uma multivitamina foi uma redução de 0,8. Mas aqueles com níveis mais altos de PCR tiveram quedas muito maiores. Em alguns casos, os pacientes com nível de PCR nas alturas de 9 tiveram uma queda livre até chegar ao nível perfeito de 1,0, graças à multivitamina.

5- Fio Dental: Um dos primeiros lugares que inflamação te pegará é diretamente na boca. A doença gengival é frequentemente um sinal de inflamação sistêmica. É a doença cardíaca esperando para acontecer, e é por isso que as pessoas que têm gengivas inflamadas e sangrentas têm maior risco de doenças cardíacas e de ataques cardíacos.

Não há coincidência, as doenças periodontais aumentam a PCR em 14%. Combata isto passando fio dental todos os dias, e enxague com água oxigenada de 3%.

Você também pode combater a PCR com alimentos. Morangos, cerejas, azeite e aveia (aveia real, não aquela coisa que vem em saquinhos de porções únicas) comprovadamente cortam o nível de PCR, junto com a boa e velha vitamina D.

E não se esqueça do mais potente combatente de todos: sono. Sono pobre aumenta a inflamação e o nível de PCR. Isto significa que uma boa noite de sono trará aqueles níveis para baixo. Então, durma e não tenha medo de tirar um cochilo quando precisar!

Referências bibliográficas:

  • Free RadicBiol Med, 2008 Oct 10
  • Eur Heart J, 2008 Sept 23
  • JANA, 2005;8(1):43-44
  • CVR&R, March/April 2004;25:66-69
  • JAMA, May 13, 1998;279(18):1477-1482
  • Ann Intern Med, March 15, 2005;142(6):425-432
  • Am J Cardiol, November 15, 2001;88:1139-1142

Fonte: Dr. Rondó



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook