Perca Peso Agora

Saiba Por Que Gisele Bündchen e Tom Brady Raramente Comem Tomates

O chef de cozinha particular da modelo Gisele Bündchen e do jogador de futebol americano Tom Brady revelou como é a dieta alimentar do casal. Em entrevista ao site Boston.com, Allen Campbell contou que um alimento foi parcialmente eliminado do cotidiano da família: o tomate.

De acordo com o chef, tanto o tomate quanto o cogumelo causam inflamação e, por isso, não são consumidos. “Os tomates são usados de vez em quando, talvez uma vez por mês.”

Alguns alimentos como tomate, beringela, pimentão e batata inglesa são da família das solanáceas. Eles contém algumas substancias tóxicas, entre elas a solanina, um alcaloide que funciona como um mecanismo de defesa para a planta.

No entanto, nos seres humanos, essa substância pode causar efeitos prejudiciais no trato gastrointestinal se consumidos em excesso. Desse modo, pessoas com pré-disposição genética à inflamação do intestino ou das juntas devem evitar ingerir alimentos com solanina.

    As solanáceas (família Solanaceae) agrupam cerca de 90 gêneros e mais de 2600 espécies, sendo plantas geralmente herbáceas.
    A Solanina é um veneno. Quimicamente é um glicoalcaloide tóxico, amargo (C45 H73 NO15), formado por um alcalóide (a solanina), e por um hidrato de carbono (carbohidrato).
    A solanina está presente naturalmente em algumas plantas (solanáceas), com maior concentração nos tubérculos, folhas ou frutos, tais como:
    - batata (batata comum ou batata inglesa) (tubérculo), tomate (fruto), pimentão (fruto), beringela (fruto), piripiri (pimenta chili), pimenta (pimenta-do-reino), lício (lycium chinensis) (gogi ou kukoshi), tabaco (folhas), beladona, etc.

    A solanidine (C27 H43 NO), que faz parte da solanina, encontra-se em concentração mais elevada nas cascas dos tubérculos, ou entre a casca e a polpa, da família das solanáceas e nos seus brotos (rebentos).

    Nota: Cuidado!

    Desses tubérculos, os que estiverem murchos, de cor esverdeada ou com pontos pretos, tendem a apresentar níveis mais elevados de solanina e de glicoalcalóides.

    Os glicoalcalóides das solanáceas são produzidos em quase todas as partes das respectivas plantas, tais como as raízes, os tubérculos, os rebentos (brotos ou grelos), e as folhas, a partir do colesterol. O colesterol dá origem a um alcalóide denominado solanidine. Por ação da glicosiltransferase ocorre a glicolização da solanidine, formando o glicósido denominado solanina.

    São conhecidos vários efeitos tóxicos graves ou mesmo gravíssimos no organismo humano, devidos ao consumo de solanáceas (devido ao conteúdo de solanina e de outros glicoalcalóides), tais como batatas, tomates, pimentos, etc.
    O seu efeito tóxico ou venenoso faz-se sentir fundamentalmente em:
    Sistema nervoso central (alucinações, sintomas neurológicos);
    Membranas celulares e gastrointestinais (hemorragias, edemas em cavidades corporais, etc.);
    Fígado (intoxicação hepática);
    Efeitos teratogénicos (nocivos ao desenvolvimento do feto). A ingestão de solanáceas, pela mulher grávida, devido ao seu conteúdo em glicoalcalóides aumenta a incidência de defeitos ou anomalias estruturais e funcionais durante o desenvolvimento do feto.
    Além disso pode provocar diminuição da fertilidade ou mesmo infertilidade, retardação do crescimento intra-uterino ou mesmo a morte do feto.

    Segundo estudos em animais, verificou-se que a solanina se acumula nos órgãos pela seguinte ordem:
    - Baço, Rins, Fígado, Pulmões, Coração, Cérebro e Sangue.

    À luz dos estudos atuais supõe-se que nos seres humanos a solanidine se acumula em maior quantidade no Fígado.

    Mesmo nas pessoas saudáveis, apenas 78% da solanina é eliminada pelas fezes e urina nas 24 horas após a ingestão, o que demonstra o perigo de acumulação do que não é eliminado diariamente, acrescido o perigo do consumo diário repetido de alimentos ricos em solanina.

    A dose tóxica média é de 2 a 5 mg por quilograma de peso corporal e os sintomas manifestam-se desde passados 30 minutos após a ingestão (se tiver ingerido grande quantidade) até 8 a 12 horas após a ingestão.
    A solanina é praticamente insolúvel em água e é estável ao calor, o que dificulta a sua inativação pelo processo normal de cozimento.

    Certos estudos consideram como aceitável a ingestão diária de 300 g de batata por dia (cerca de ¼ de kg).

    Contudo o mais seguro é evitar a ingestão deste tipo de alimentos altamente tóxicos e perigosos. Note-se que sobretudo em pessoas doentes, haverá um efeito acumulativo de toxicidade, nomeadamente ao nível do fígado e de outros órgãos já por alguma razão intoxicados. E nesses casos há motivos adicionais de sobra para evitar o consumo de tais alimentos perigosos.


    SINTOMAS RESUMIDOS DE INTOXICAÇÃO
    Parada respiratória e perda da função cardíaca por fibrilação ventricular;
    Perda de consciência, com olhar fixo, pupilas dilatadas e visão turva;
    Ansiedade;
    Dificuldade de movimentação da língua e de articulação de palavras, com produção excessiva de saliva;
    Vômitos e diarreia;
    Cólicas abdominais, cólicas intestinais e possibilidade de evolução para tumor ou de evolução para câncer do cólon ou câncer do útero;
    Respiração rápida e irregular, frequentemente suprimida, geralmente curta incompleta e difícil;
    Pulso radial (à palpação) fraco, pouco perceptível e rápido;
    Câimbras nos membros com contrações espasmódicas nos dedos;
    Rigidez generalizada, tosse, cansaço e fadiga;
    Pele pálida;
    Suores frios e extremidades frias

    Evitar tubérculos (batatas) que estejam murchos, verdes e/ou grelados;
    Evitar comer em excesso, ou diariamente ou frequentemente estes alimentos (batatas, tomates, pimentos, etc.) ou evitá-los mesmo de todo deixando de os consumir, nomeadamente se não são escolhidos, consumidos e preparados em casa;
    3. Quanto mais velhas forem as batatas menor será a concentração de solanina;
    4. A solanina encontra-se entre a casca e o miolo dos tubérculos (batatas, etc).

    Nota: Tomates verdes contêm solanina em altas doses.

Dieta restrita

Ainda segundo o chef, a alimentação de Brady e Gisele é composta, basicamente, de vegetais. “80% do que eles comem é vegetal. Eu sempre compro legumes frescos. Se não forem orgânicos, eu não uso. E cereais integrais: arroz integral, quinoa, milho, feijão”, afirmou Campbell. O restante da alimentação é constituída de carnes magras, como salmão e frango.

Além dos alimentos precisarem ser 100% orgânicos, há outros produtos que não entram na dieta de Gisele e Brady, como cafeína, açúcar branco e laticínios.

“Sem açúcar branco. Sem farinha branca. Eu nunca cozinho com azeite de oliva. Eu só cozinho com óleo de coco”, conta o chef.

Campbell também afirmou que os filhos do casal compartilham de sua dieta. “90% de tudo o que as crianças comem é a mesma coisa. Eu cozinho para as elas, mas é a Gisele quem faz o almoço de Benny para levar para a escola. Ela mesmo embala”, explica.

Fonte: Exame



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook