Perca Peso Agora

Saiba AQUI como Funciona a "Indústria da Doença". UmaTriste Realidade!

Na batalha absurdamente sofrida pela liberação da Fosfoetanolamina Sintética para pacientes com câncer, tem se falado muito no poder da indústria farmacêutica, apontada como grande inimiga da substância desenvolvida por pesquisadores da USP de São Carlos.

Os comprimidos já trouxeram benefícios para milhares de pessoas e se já tivessem sido legalizados custariam cerca de 10 centavos a unidade. Até certo ponto, compreende-se a reação dos adversários: se for confirmada a eficácia da Fosfo no combate ao câncer, seria incalculável o prejuízo para indústria e comércio que há décadas mantêm-se com tratamentos de altíssimo custo. "O impacto seria mundial", tem-se alardeado com preocupação...

Mas nada disso deveria ter mais valor do que a vida, a possibilidade de melhora ou cura de pacientes, frequentemente nossos entes queridos, vitimados pelo câncer e suas dores. Artigo publicado pelo site Neuronews aponta "10 Leis Básicas da Indústria da Doença". É um texto impactante e revelador.

Artigo escrito pelo médico alemão Matthias Rath, grande defensor de pesquisas e tratamentos alternativos.

Há toda uma indústria com um interesse econômico inato de obstruir, suprimir e desacreditar qualquer informação sobre a erradicação de doenças por meios naturais. A indústria farmacêutica faz mais de um trilhão de dólares com a venda de drogas para as doenças atuais. Estes medicamentos podem aliviar os sintomas, mas não trazem a cura.

Precisamos perceber que a missão desta indústria é ganhar dinheiro com as doenças em curso. A cura ou a erradicação de uma doença vai levar ao colapso de um mercado de trilhões de dólares.

Eu os encorajo a ler os seguintes pontos-chave sobre a natureza da indústria farmacêutica e pensar sobre cada um deles.

Agora você vai entender por que somos bombardeados com campanhas publicitárias de empresas farmacêuticas que querem que acreditemos que eles estão "à procura de curas", "esforçando-se na erradicação de doenças", "aumentando a expectativa de vida" e outras falsas promessas. Com estas declarações enganosas, a indústria farmacêutica tem sido há décadas capaz de disfarçar a verdadeira natureza do seu negócio - o lucro máximo oriundo das doenças em curso.

Como é que milhões de pessoas ainda estão dispostas a pagar bilhões de dólares em medicamentos que não curam e que com frequência fazem até mal?

Ao longo do século passado, o cartel farmacêutico e seu exército de lobistas se infiltraram em todos os setores da nossa sociedade. Eles construíram estrategicamente um intrincado labirinto de manipulação, engano e controle. Os elementos mais importantes deste sistema estão resumidos na figura que mostramos acima.

  • Manipulação: Pesquisas para que as drogas sintéticas em vez das terapias naturais sejam vistas como "remédio".

  • Endossamento: Aprovação do "negócio farmacêutico da doença" por médicos e outros profissionais de saúde, recomendando drogas ineficazes. Muitos deles são as próprias "vítimas", pois são privados da formação adequada sobre medicina nutricional durante a sua formação médica.

  • Criação da Ilusão: Campanhas de publicidade multimilionárias na televisão e em outros meios de comunicação que enganam o público sobre a eficácia e os riscos de drogas farmacêuticas.

  • Regulação: Influência na regulamentação e na legislação que são criadas por meio de agências reguladoras e políticos, sob a pressão de um exército de lobistas farmacêuticos.

No futuro, nenhuma nação será capaz de se dar ao luxo de pagar essa sobrecarga em sua economia que é proveniente de uma indústria farmacêutica que cresce como um câncer às custas de pessoas, empresas e do setor público. Todos estes grupos estão sendo sufocados à medida em que os custos dos sistemas de saúde pública estão explodindo com medicamentos que não curam.

Até agora, a indústria farmacêutica tem se apresentado como uma benfeitora da humanidade da qual nenhuma sociedade moderna poderia existir sem. No entanto, uma análise simples da natureza da indústria farmacêutica revela uma imagem realística que pode ser resumida como se segue abaixo.

10 Leis Básicas da Indústria da Doença

1. A indústria farmacêutica não é uma indústria de saúde que cresceu naturalmente, mas um negócio de investimento criado artificialmente com base na promessa enganosa de entregar saúde.

2. O mercado da indústria farmacêutica é o seu corpo - mas apenas enquanto ele estiver doente.

3. Prevenção, tratamento da causa raiz e acima de tudo, erradicação de doenças diminuem a fatia ou destroem os mercados farmacêuticos, portanto, não fazem parte do interesse desta indústria.

4. A grande maioria dos medicamentos não tem eficácia comprovada e é meramente orientada a combater sintomas.

5. A base do enorme lucro desta indústria não é efetivamente combate às doenças, mas os royalties de patentes de moléculas sintetizadas desconhecidas ao corpo humano.

6. Uma vez que a maioria das drogas farmacêuticas são moléculas sintéticas, elas são tóxicas para o corpo humano e causam com frequência graves efeitos secundários, novas doenças ou até mesmo a morte.

7. Para ocultar este esquema de enganação global, a indústria farmacêutica gasta mais dinheiro disfarçando seu modelo de negócio enganador do que em pesquisa. Este dinheiro é utilizado em publicidade, lobby e outras contra medidas.

8. Vitaminas e outras terapias naturais de saúde estão ameaçando o pilar da atividade farmacêutica, por duas razões: primeiro, elas previnem ou tratam a causa raiz das doenças mais comuns da atualidade; e em segundo lugar, elas geralmente não são patenteáveis e, portanto, têm baixas margens de lucro.

9. As terapias naturais de saúde e a "indústria da doença" são incompatíveis e não podem coexistir.

10. Uma pré-condição para a prosperidade da indústria farmacêutica a longo prazo é a eliminação de terapias naturais.

Isso é muito sério! Somos manipulados diariamente! É o poder do dinheiro e a ganância do ser humano! Triste!

Fonte: Conexão Jornalismo



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook