Perca Peso Agora

Quando É Preciso Ir ao Pronto-Socorro com Seu Filho?

Em geral, há muitas crianças na sala de espera, algumas bem abatidas, muitas febris, outras até brincando. Será que todos os casos são urgências?

De acordo com os pediatras, não. Lorena Santiago Batista, da Clinica BabyClin explica melhor o que se deve fazer.

De fato, não são todos casos de urgência. A grande maioria das crianças não precisa ir ao pronto-socorro, mas a ansiedade dos pais e até a dificuldade de falar com o pediatra, são motivos que os levam a correr com os filhos para o hospital mais próximo.

Outra questão é a rapidez com que circulam as informações. Um caso de meningite em uma cidade vira em poucos minutos notícia na internet. Isso pode gerar preocupação em locais em que nem há grandes riscos da doença. A consequência disso são pronto-socorros lotados e uma espera enorme para a consulta.

Na realidade o Pronto Socorro (PS) foi criado para atender as urgências verdadeiras e nisso ele é insubstituível. Segue abaixo algumas situações de urgências, em que se deve levar a criança ao pronto-socorro:

Diarréia

O maior problema da diarréia é quando ela leva a desidratação. São sinais de desidratação: lábios e língua secos, falta de elasticidade da pele, diminuição da urina e olhos fundos. Esses sintomas podem aparecer após algumas horas ou depois de alguns dias. Para evitar que isso aconteça, assim que a criança começar um quadro de diarréia, ofereça bastante líquidos. Se mesmo com o aumento de ingestão hídrica a desidratação aparecer, deve-se procurar o pronto atendimento.

Vômitos

Os vômitos também podem levar a desidratação. Quando a criança começa a vomitar, a primeira coisa a fazer é tentar dar um antiemético via oral, medicamentos que possuem como principal característica o alívio dos sintomas relacionados com o enjôo, as náuseas e os vômitos. Aguardar aproximadamente 20-40 minutos para fazer efeito e oferecer líquidos . Se mesmo após o antiemético a criança continuar vomitando, deve-se procurar um pronto atendimento, para avaliar a necessidade de fazer a medicação injetável.

Alergias

Manchas pelo corpo e coceira precisam ser tratadas, mas podem esperar uma consulta com o pediatra ou o dermatologista. A situação é grave quando existe algum sintoma respiratório. Tosse rouca, dificuldade para respirar ou chiado estão entre eles. Também é preciso ficar atento com os sinais de choque anafilático, como inchaço nos lábios e garganta.

Ferimentos/quedas

Se a criança tiver um sangramento intenso e difícil de estancar, é motivo para correr para o PS. O mesmo vale para traumas sérios, como a queda de um brinquedo alto, ainda que não existam sinais de fratura. Se o seu filho bater a cabeça, observe seu comportamento nas próximas 48 horas. No entanto, se ele desmaiar, vomitar uma ou mais vezes, mostrar desorientação, continuar irritado após 15 minutos da queda, ficar mole e sem pique, não pense duas vezes e vá ao hospital.

Febre

A febre por si só não deve preocupar. Por um período de 72 horas, você pode controlá-la em casa. Lembre-se de que o antitérmico leva até 50 minutos para fazer efeito, e que ainda você pode intercalar antitérmicos diferentes e dar banhos para auxiliar a baixar a temperatura. Se não estiver conseguindo baixar a temperatura do seu filho com o remédio oral, vá ao pronto-socorro. A mesma recomendação serve para casos em que a febre está associada a outros sintomas, como vômito, diarréia, dor de cabeça, choro exagerado, alteração de comportamento e sonolência excessiva.

Intoxicação

Remédios e produtos de limpeza (principalmente aqueles que são guardados em garrafas de refrigerantes) são os campeões da intoxicação infantil. Nesse caso, não há dúvida: vá para o hospital! Não induza o vômito porque algumas substâncias (como a soda cáustica), quando expelidas de maneira inadequada, agravam a lesão. Antes de sair de casa, pegue o rótulo da substância, tente verificar a quantidade ingerida e marque o horário. Se for uma planta, procure saber o nome dela. Qualquer informação que você tiver será importante na hora de o seu filho ser avaliado.

Dificuldade respiratória

Cansaço respiratório, laringite e rouquidão são outros sinais de alerta e podem ser indícios de um caso mais grave, como uma pneumonia ou asma. Pequenos objetos também podem causar problemas respiratórios. Se a criança aspirar ou engolir um brinquedinho, por exemplo, vá imediatamente ao PS.

Convulsão

Se a criança sofrer convulsão, os pais têm de procurar auxílio médico imediatamente, porque apenas um profissional saberá precisar o que pode acontecer, quanto tempo a crise vai durar e se é complexa ou não. Você deve observar por quanto tempo a criança se debateu, se enrolou a língua, se fez desvio ocular, quais movimentos fez, se os músculos enrijeceram ou não.

Se for necessário levar ao PS, lembre-se sempre que esta é só uma consulta de urgência; comunique ao seu pediatra para que ele tome conhecimento e acompanhe o tratamento. Mas esta consulta não vale como uma consulta de puericultura (orientações sobre o acompanhamento do crescimento).

Deve-se lembrar ainda que ao levar a criança no pronto socorro, você coloca ela em contato com outras várias doenças, em sua grande maioria, contagiosas, o que aumenta o risco de contaminação.

Não deixe de fazer o acompanhamento do seu filho com um pediatra de sua confiança, que possa acompanhar o crescimento e desenvolvimento da criança, orientando e proporcionando uma vida saudável. TODA CRIANÇA MERECE UM PEDIATRA PARA CHAMAR DE SEU!

Fonte: Vixkids



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook