Projeto de Lei pode Acabar com Uso de "Gorduras Trans" em Alimentos no Brasil

Na última quarta-feira (26), a Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal aprovou o projeto de lei (PLS 478/2015) que proíbe o uso de gorduras vegetais hidrogenadas, as chamadas gorduras trans, na produção de alimentos.

As gorduras vegetais hidrogenadas (gorduras trans) são produzidas artificialmente por meio da hidrogenação industrial de óleos vegetais e marinhos. Este processo estende a vida útil dos alimentos e aumentam o seu sabor, mas em excesso, produz ácidos graxos que, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), podem aumentar o risco de doenças cardiovasculares, pois contribuem para o aumento do colesterol ruim(LDL) e a queda do bom (HDL). No longo prazo, o quadro pode levar a episódios de derrame e infarto.

O PLS 478/2015 também determina que seja editada pelo executivo uma regulamentação específica dispondo sobre as gorduras que poderão ser utilizadas na produção alimentícia em substituição à modalidade vetada.

De acordo com o projeto, o poder público deverá incentivar e financiar estudos e pesquisas que tenham por objetivo a substituição gradual da gordura vegetal hidrogenada na produção de alimentos. O estado deverá, ainda, promover campanhas e ações educativas voltadas para o consumo consciente de alimentos.

O relator da proposta, o senador Eduardo Amorim (PSDB-SE), alterou o texto original, incluindo a proibição de gorduras parcialmente hidrogenadas na fabricação alimentícia e estabeleceu um prazo de 3 anos para as empresas se adequarem à norma.

O projeto de lei é de autoria da senadora Marta Suplicy (PMDB) e segue agora para tramitação na Câmara dos Deputados.

Fonte: Hypeness




Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook