Por que existem canhotos?

A razão de algumas pessoas preferirem a mão direita e outros a esquerda é um dos mistérios da ciência. Sério, está ali, junto com perguntas como “de onde viemos?” e “para onde vamos?”. Ninguém sabe ao certo por que não somos todos ambidestros (as vantagens seriam óbvias) ou, se era para escolher um lado, todos destros de uma vez. O fato é que 10% da humanidade teima em ser canhota, intrigando geneticistas, neurologistas e antropólogos.

Em 2004, um estudo dos franceses Charlotte Faurie e Michel Raymond defendeu que os canhotos conquistaram a sua cota na marra: por surpreender no combate corpo a corpo, o uso da mão esquerda era favorecido pela seleção natural.

Já na seleção artificial, só desvantagem – até a metade do século 20, por exemplo, só se ensinava a escrever com a mão direita. Volta e meia ainda saem pesquisas dizendo que os canhotos morrem antes, porque a porcentagem deles diminui conforme aumenta a faixa etária. Na verdade, isso é reflexo do antigo preconceito: há menos canhotos entre os idosos porque muitos foram obrigados a ser destros.

Conheça os principais fatores que influenciam na existência dos canhotos

1. De Berço

Aparentemente, é o fator que mais conta. O irmão gêmeo de um canhoto tem 76% de chance de também ser. Em 2007, pesquisadores descobriram o gene LRRTM1, o primeiro relacionado à preferência da mão esquerda.

2. Do Ventre

O neurologista Norman Geschwind criou a teoria de que um alto nível de testosterona da mãe durante a gravidez afetaria o desenvolvimento do hemisfério direito do cérebro do feto, aumentando as chances de o nenê nascer canhoto.

3. Da Escola

Além de as escolas favorecerem o aprendizado da escrita com a mão direita, no imaginário ocidental tudo relacionado ao lado esquerdo tinha conotação negativa – tanto que a palavra latina para quem usa a mão esquerda é… sinistro.

Agora, segundo outras pesquisas...

Ser destro ou canhoto é determinado pela medula, e não pelo cérebro

Ao contrário do que os cientistas pensavam, não é o cérebro que determina se as pessoas são destras ou canhotas, mas a medula espinhal.

Este foi o resultado de uma pesquisa sobre o tema com uma profundidade inédita, realizada por uma equipe de pesquisadores da Alemanha, Holanda e África do Sul, liderada por Sebastian Ocklenburg, Judith Schmitz e Onur Güntürkün, da Universidade Ruhr-Bochum.

A equipe demonstrou que a atividade gênica na medula espinhal já é assimétrica no útero. A preferência pela mão esquerda ou pela mão direita pode ser rastreada até essa assimetria, que é anterior a qualquer conexão com o cérebro.

Até agora, os cientistas assumiam que diferenças na atividade dos genes do hemisfério direito e esquerdo seriam responsáveis pela lateralidade de uma pessoa - se ela é destra ou canhota.

A preferência por mover a mão esquerda ou a direita se manifesta a partir da oitava semana de gestação, de acordo com exames de ultrassonografia realizados na década de 1980. A partir da 13ª semana de gravidez, as crianças preferem chupar ou o polegar direito ou o esquerdo.

Os movimentos dos braços e das mãos são iniciados através do córtex motor no cérebro, que envia um sinal correspondente para a medula espinhal que, por sua vez, traduz o comando em um movimento.

O córtex motor, no entanto, só se conecta à medula espinal mais tarde no desenvolvimento do feto. O que a equipe demonstrou é que, mesmo antes que a conexão se forme, os precursores da lateralidade já se tornaram aparentes. É por isso que eles concluíram que a causa da preferência pela esquerda ou pela direita deve estar enraizada na medula espinhal, e não no cérebro.

Influência do ambiente

Indo além, a equipe rastreou a causa da atividade gênica assimétrica que determina a lateralidade.

Em lugar de ser um fator herdado, o ser canhoto ou destro parece ser resultado de uma influência de fatores epigenéticos, refletindo influências ambientais. Essas influências podem, por exemplo, gerar enzimas que ligam grupos metil ao DNA, o que por sua vez irá afetar e minimizar a leitura dos genes.

Como isso ocorre em intensidades diferentes no lado esquerdo e no lado direito da medula espinhal, há uma diferença na atividade dos genes em ambos os lados, levando a uma "escolha" pelo lado direito ou esquerdo.

Os resultados foram publicados na revista eLife.

Compartilhe essas informações com todos os seus amigos canhotos. Eles devem estar curiosos para saber como surgiu essa característica!

Fonte: Super Interessante

Diário da Saúde




Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook