Perca Peso Agora

Óleos: Saiba Como Extrair o Melhor de 9 Tipos Diferentes

Engana-se quem pensa que na hora H, na cozinha, todo óleo é igual: o ingrediente primário de qual cada produto é feito determina não só ganhos imensuráveis para a saúde de quem o consome como também qual tipo de utilização ele permite.

Para te ajudar na próxima ida ao supermercado, conversamos com nutricionista funcional carioca Patricia Davidson Haiat, responsável pelo corpão de beldades como Grazi Massafera, Paola Oliveira e Carolina Ferraz, que elaborou um verdadeiro guia de óleos com prós, contras e modo de uso a seguir.

Óleo de uva

Benefícios do uso: "Rico em vitamina E, é um super antioxidante que ajuda na revitalização da pele. É rico também em Omega 6, que é um ácido graxo com propriedades anti-inflamatórias, muito importante na cicatrização de feridas".

Lado ruim: "Por ser muito adocicado, não agrada a todos pelo paladar".

Melhor forma de utilizar: "Como hidratante para o corpo e para pele, pois ajuda na prevenção de estrias e celulites, devido à alta concentração de vitamina E. E pode ser também utilizado para temperar saladas e até mesmo para frituras, pois não forma substância cancerígenas em altas temperaturas".

Óleo de semente de abóbora

Benefícios do uso: "Rico em carotenoides, triptofano, e magnésio. Portanto, esse óleo é um poderoso antioxidante, tem efeito de calmante natural e potencializa o nosso sistema imunológico".

Lado ruim: "Não pode ser utilizado para frituras, pois é sensível ao calor".

Melhor forma de utilizar: "Para temperar saladas e em preparações culinárias".

Óleo de oliva

Benefícios do uso: "Ele é rico em ácidos graxos monoinsaturados, como o ácido oleico, que ajuda a diminuir o colesterol ruim e aumentar o bom colesterol. É rico em antioxidantes que impedem a oxidação do colesterol e o acúmulo de placas de gorduras nos vasos sanguíneos".

Lado ruim: "Não pode ser utilizado para frituras, somente em preparações de pratos quentes, onde o calor é controlado".

Melhor forma de utilizar: "É recomendável para molhos de salada e pratos quentes - e sempre que possível no final do preparo".

Óleo de canola

Benefícios do uso: "O óleo de canola contém menor teor de gordura saturada, se comparado com outros óleos, e é rico em ômega 3 e ômega 6".

Lado ruim: "A canola cultivada no mundo é geneticamente alterada a fim de que consiga sobreviver ao plantio realizado com o uso de pesticidas nocivos tanto à planta quanto aos seres humanos. E esses agrotóxicos ficam armazenados justamente nos lipídeos da planta, ou seja, em seu óleo, que consumimos. Durante o processamento e refinamento, os óleos poliinsaturados dos quais são formados se deformam com a luz, com o calor e com a pressão. Desse modo, oxidam-se, aumentando os radicais livres em nosso organismo, o que causa o seu envelhecimento precoce.Tal processo gera óleos altamente inflamatórios, fazendo com que contribuam para o aumento de doenças degenerativas, do coração e ainda facilitem o ganho de peso".

Melhor forma de utiliza: "Melhor optar por um óleo mais saudável".

Óleo de girassol

Benefícios do uso: "Este óleo é rico em vitamina E, que ajuda a prevenir doenças como asma, artrite reumatóide e câncer de cólon".

Lado ruim: "Ele é rico em ácidos poliinsaturados, que podem reagir com o organismo oxidando e danificando o sangue arterial. O excesso desses ácidos também pode elevar os níveis de pressão arterial, causando distúrbios renais e outras complicações graves. O consumo excessivo pode causar obesidade, dores nas articulações e diabetes".

Melhor forma de utilizar: "Melhor optar por um óleo mais saudável".

Óleo de linhaça

Benefícios do uso: "O óleo de linhaça é saboroso e conhecido por sua alta concentração de ácidos graxos ômega 3, que reduz a inflamação nas articulações, pele e rins, e também reduz os níveis de colesterol".

Lado ruim: "Não pode ser esquentado, sendo utilizado somente em preparações a frio".

Melhor forma de utilizar: "Na salada".

Óleo de abacate

Benefícios do uso: "É rico em beta-sitosterol, gorduras monoinsaturadas, vitamina A e um alto teor de vitamina E, quase o dobro do óleo de semente de uvas. E por conter essas propriedades nutricionais o óleo ajuda a reduzir os níveis de cortisol, hormônio responsável pela compulsão por comer e pelo acúmulo de gordura na região do abdôme".

Lado ruim: "Não tem".

Melhor forma de utilizar: "Pode ser consumido puro ou utilizado em diversas preparações, é mais estável a altas temperatura, podendo ser utilizado em preparações quentes, como refogados e frituras, sem alterar sua estrutura química".

Óleo de amendoim

Benefícios do uso: "É rico em vitamina E e Ômega 6, que previnem a formação dos radicais livres, combatendo o envelhecimento precoce; o Ômega 6 é um renovador celular. O óleo tem grande quantidade de gorduras monoinsaturadas/insaturadas, que previnem a formação de coágulos nas artérias, protegendo o coração".

Lado ruim: "Seu uso deve ser moderado, se consumido em grandes quantidades, pode perder o efeito".

Melhor forma de utilizar: "Pode ser usado em frituras, já que é mais resistente à oxidação do que os demais óleos e azeites, além de não engrossar, não soltar fumaça e nem escurecer durante o processo de fritura".

Óleo de coco

Benefícios do uso: "Tem propriedades antiviral, antifúngica e antibacterianas. Contém triglicerídeos de cadeia média, que é de fácil absorção, não acumulando na forma de gordura".

Lado ruim: "Por ser metabolizado no fígado, portanto quem possui alguma doença hepática deve evitar o consumo excessivo".

Melhor forma de utilizar: "Em saladas e em preparações quentes, até mesmo em frituras, pois é resistente a altas temperaturas e não sofre deterioração".

Fonte: Vogue



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook