Perca Peso Agora

O Que é Melhor para a Sua Saúde: Comer Mais ou Menos Ovos?

Muitas pessoas ainda têm uma grande preocupação com os ovos pelo fato de conter colesterol, apesar dos alimentos mais saudáveis serem ricos em colesterol e gordura saturada. O alto consumo de ovos na alimentação não tem nenhum efeito nos valores de colesterol do seu perfil lipídico.

Segundo estudo recente, de 2015, publicado pela The American Journal of Clinical Nutrition, o consumo de 12 ovos por semana é seguro.

Os pesquisadores dividiram 2 grupos de indivíduos obesos com diabetes tipo 2 ou pré diabéticos. Uma parte consumiu 12 ovos por semana, enquanto os outros consumiram menos de 2 ovos no mesmo período. O resultado: não se observou nenhuma diferença no colesterol total, LDL colesterol, triglicérides ou controle glicêmico.

Outro estudo mostra que o colesterol dos ovos leva ao aumento do HDL colesterol (bom), que ajuda a retirar colesterol das suas artérias e removê-lo das placas arteriais, o que previne a formação de doença cardíaca.

Com isso, fica claro que a preocupação de se consumir alimentos saudáveis ricos em colesterol não eleva o colesterol.

Excesso de consumo de colesterol não é mais motivo de preocupação

Recentemente, as novas diretrizes americanas já assimilaram o conhecimento de que colesterol de FONTES NATURAIS na alimentação não compromete a saúde.

Não há mais limite para o colesterol da alimentação e a gema do ovo agora faz parte da lista de fontes sugeridas de proteína.

E o que se considerava maus hábitos alimentares, como consumir carne vermelha, gorduras animais, manteiga, ovos, leite integral, bacon, queijo e linguiça não tem correlação com níveis de colesterol sanguíneo.

Para você ter uma ideia, nós nem conseguimos comer o suficiente de colesterol que o nosso corpo precisa para as funções diárias – e nosso próprio organismo produz o colesterol.

Quanto mais colesterol nós ingerimos pela dieta, menos colesterol nós produzimos. Somente cerca de 20% do colesterol sanguíneo vem da sua dieta. O restante é produzido pelo fígado, que o produz porque o seu corpo precisa de colesterol.

Os ovos contêm:

  • 210 mg de colesterol por gema.
  • Importante fonte de antioxidantes e vitaminas A, D, E , K, B6, B12 e folato e 215 mg de colina, um elemento do complexo B.
  • Importante para o desenvolvimento do cérebro e memória
  • Minerais como cobre e cálcio, antioxidantes carotenoides, como luteína e zeaxantina importante para a visão.
  • Aminoácidos triptofano e tirosina , importante na proteção cardiovascular e câncer.

Qual tipo de ovo consumir?

Consuma de preferência ovos de galinhas criadas soltas, pastoreando ao ar livre, pois só assim podem ser consideradas orgânicas, alimentando-se sem o acúmulo de pesticidas dos grãos. É fácil descobrir as diferenças:

1- Ovos com gema laranja brilhante são de galinhas criadas ao ar livre pastoreando, e ovos com gema amarelo claro são de galinhas criadas presas em granjas e que não se alimentam de forma natural (forragem, sementes, insetos, plantas verdes e minhocas para a sua alimentação natural).

2- Ovos de galinha orgânica são superiores em nutrientes, cerca de:

  • 2 a 3 vezes mais vitamina A
  • 2 vezes mais ômega 3
  • 3 vezes mais vitamina E
  • 7 vezes mais beta caroteno
  • não recebem antibióticos
  • não são expostos a pesticidas, fungicidas, herbicidas ou fertilizantes sintéticos
  • não se alimentam de milho e soja

Qual a melhor forma de consumir ovos?

1ª escolha – pochê ou cozido mole

2ª escolha – frito: nestes casos há redução de 50% dos antioxidantes, pois a gema se oxida pela alta temperatura e pelo contato do ferro presente na clara, o que contribui para inflamação crônica do seu corpo.

3ª escolha – mexido: é o pior deles, já que a oxidação é muito maior.

O colesterol foi demonizado desde a década de 50, quando o pesquisador Ancel Keys apresentou um estudo falho. Na verdade, o colesterol tem muitos benefícios:

  • tem papel importante na regulação das proteínas, nos processos envolvendo a sinalização celular
  • papel fundamental nas membranas celulares
  • permite a interação entre trilhões de células
  • precursor dos ácidos biliares – com pouco colesterol, o seu sistema digestivo fica comprometido
  • essencial para o cérebro, que contém cerca de 25% do colesterol do seu corpo
  • crítico para a conexão entre neurônios, o que permite pensar, aprender e ter memória.

Referências bibliográficas:

  • Journal of Nutrition Nov 1990, 120:11S:1433-1436
  • International Journal of Cardiology 2005 Mar 10;99(1):65-70
  • The Journal of Nutrition February 2008, vol. 138 no. 2 272-276
  • American Journal of Clinical Nutrition February 10, 2016
  • TIME February 17, 2016
  • The American Journal of Clinical Nutrition April 2015

Fonte: Dr. Rondó



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook