Perca Peso Agora

Novo Teste de Saliva Poderá Detectar a Doença de Alzheimer Precocemente

Um recente estudo mostrou que um teste para detectar precocemente a doença de Alzheimer pode tornar-se facilmente disponível, graças a uma substância abundante em nosso corpo: a saliva.

O teste de saliva foi apresentado agora na 2015 Alzheimer's Association International Conference, em Washington.

Embora a pesquisa ainda esteja no início, o teste de saliva parece ser uma promissora ferramenta de diagnóstico em desenvolvimento para a detecção de doenças neurodegenerativas.

Os médicos hoje são capazes de ver a diferença entre um cérebro saudável e uma afetado pela doença de Alzheimer. Mas esse estudo enfatiza a importância da detecção das alterações provocadas pela doença precocemente.

Heather Snyder, diretor de operações médicas e científicas da Alzheimer's Association disse: Hoje temos evidências que sugerem que o cérebro das pessoas que desenvolvem a doença de Alzheimer já começa a sofrer alterações uma década ou mais, antes de apresentar os primeiros sintomas clínicos da doença.

Pesquisadores da Universidade de Alberta, no Canadá analisaram amostras de saliva de menos de 100 pessoas, divididas em três grupos com base na capacidade cognitiva: 35 com cognição normal de envelhecimento, 25 com comprometimento cognitivo leve e 22 com doença de Alzheimer.

Usando a tecnologia de análise de proteínas, os pesquisadores examinaram a saliva de cada indivíduo, analisando cerca de 6.000 metabolitos, que são moléculas pequenas que são subprodutos de reações químicas no cérebro.

A equipe então descobriu biomarcadores específicos (ou padrões de metabolitos) nos grupos com a doença de Alzheimer, e no grupo com déficit cognitivo leve, em comparação com o grupo natural de envelhecimento, e testou os biomarcadores como preditores de desempenho cognitivo. O estudo foi validado através da análise de uma nova amostra de 27 participantes.

O teste de saliva é minimamente invasivo e tem um custo muito acessível. A saliva é muito fácil de ser coletada e transportada, o que irá facilitar a realização do teste nos lugares distantes e em diversas populações.

O estudo foi apresentado na conferência, mas ainda não foi publicado. Os especialistas enfatizam que mais pesquisas são necessárias antes que o teste de saliva possa ser usado como uma ferramenta de detecção.

"Os estudos ainda estão na fase inicial, disse o Dr. Dean Sherzai, diretor do Programa de Prevenção da doença de Alzheimer no Cedars-Sinai. As amostras são muito pequenas e as anormalidades podem ter sido acidentais, disse ele. "Na ciência, a chave é a replicação", acrescentou Sherzai. "O estudo tem que ser replicado, e tem que ser replicado em uma população maior."

Enquanto não há nenhuma prova conclusiva que determina se alguém vai ter a doença de Alzheimer, o teste de saliva, uma vez validado, seria uma boa ferramenta de triagem, indicando a necessidade de um paciente realizar posteriormente um teste mais invasivo.

"Isto é importante porque quanto mais cedo você detectar esta doença", disse Sherzai, "mais sucesso teremos no tratamento para evitar a sua progressão".

A desordem progressiva do cérebro é a sexta maior causa de morte nos Estados Unidos e afeta cerca de 5 milhões de americanos. Esse número deve triplicar até 2050 .

"Temos uma necessidade premente de sermos capaz de identificar as pessoas com risco de desenvolver a doença de Alzheimer", disse o Dr. Richard Isaacson, diretor da Clínica de Prevenção de Alzheimer do New York-Presbyterian / Weill Cornell Medical Center, em Nova York.

"O que estamos percebendo é que, se pudermos encontrar uma droga ou algum tipo de intervenção que possa retardar ou reverter a doença, nós vamos precisar usar essa droga tão cedo quanto possível", disse Isaacson. "Quando alguém começa a ter sintomas de perda de memória, comprometimento cognitivo leve ou demência associada à doença de Alzheimer, é muito mais difícil de tratar."

Um ensaio clínico não foi definido, mas um estudo com uma amostra maior está em andamento, de acordo com Sapkota. "Nós ainda estamos nos estágios iniciais e muito trabalho é necessário antes que possamos incluir testes de saliva para a população em geral", acrescentou.

Especialistas dizem que estão à procura de uma opção acessível e fácil de usar, como o teste de saliva, para o dia em houver um tratamento com drogas realmente eficiente para a cura do Alzheimer.

"Quando essa droga chegar", disse Isaacson, "um teste como este é o que nós estaremos procurando."

Fonte: CNN



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook