LED Ultravioleta é melhor que o Sol para produzir Vitamina D!

A luz de um LED ultravioleta (UV) mostrou-se mais eficiente do que a luz solar para induzir a produção natural de vitamina D3 em amostras de pele humana.

Tyler Kalajian e Michael Holick, da Universidade de Boston (EUA), constataram que as amostras de pele expostas ao LED UV por apenas 0,52 minuto produziram mais de duas vezes mais vitamina D3 que amostras expostas a 32,5 minutos de luz solar.

led_flashlight

Isso se explica porque o LED emite muito mais energia UV do que a que se obtém naturalmente do Sol no mesmo período, o que exigirá estudos adicionais para verificar a segurança da técnica.

"Nós testamos LEDs ultravioleta de diferentes fontes [fabricantes] e em diferentes comprimentos de onda. O LED 293nm da RayVio mostrou o potencial mais significativo para a produção de vitamina D3 na menor quantidade de tempo," disse o Dr. Holick.

A marca citada pelo pesquisador é de uma empresa emergente criada pela própria equipe com apoio da universidade.

"Este estudo levará a uma nova geração de tecnologias que poderão ser rotuladas como 'fotofarmacologia', nas quais o uso de LEDs com comprimentos de onda direcionados poderá gerar efeitos biológicos específicos na pele humana para ajudar a tratar e prevenir doenças crônicas," completou Holick.

Ultravioleta com menor risco de câncer

A deficiência de vitamina D está associada à osteoporose, raquitismo e outras doenças ósseas metabólicas e é mais prevalente nas latitudes do norte e do sul, onde a luz solar é limitada por uma parte significativa do ano.

010110170928-ld-uv-vitamina-d

Além disso, o exagero no uso de filtros solares tem reduzido muito os níveis de vitamina D na população em geral.

A ideia dos pesquisadores não é substituir a exposição natural ao Sol, mas atender pacientes com síndromes de má absorção de gordura, incluindo a doença intestinal inflamatória e a cirurgia de ponte gástrica, ou bypass gastrointestinal.

Os experimentos mostraram que os LEDs UV também podem ser usados para tratar pacientes com deficiência de vitamina D. Os pesquisadores recomendam que um dispositivo de LED UV poderia ser aplicado em áreas da pele que experimentam menos exposição à luz solar, minimizando assim o risco de desenvolver câncer de pele.

Isto porque o LED emite uma faixa mais estreita de luz UVB e, assim, diminui a probabilidade de danos à pele que podem ocorrer na exposição a maiores comprimentos de onda.

Os resultados dos testes foram publicados na revista Nature Scientific Reports.

Fonte: Diário da Saúde




Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook