Estudo indica que estamos bebendo água mineral ácida que faz mal à saúde

A água é essencial à vida. Especialistas indicam que precisamos sempre nos hidratar para evitar uma série de complicações e doenças. A água que consumimos precisa ter necessariamente 3 características: ela precisa ser inodora, ou seja, não possuir cheiro; incolor, que significa não possuir cor; e insípida, ou desprovida de gosto.

Outra característica importante da água é o pH. O pH é uma escala que vai do 0 ao 14 utilizada para medir o potencial de hidrogênio e indica a acidez ou a basicidade de uma solução líquida.

Segundo o Ministério da Saúde do Brasil, o pH da água deve estar entre 6,0 e 9,5. Mas, um estudo publicado pela engenheira agrônoma Érika Ferreira, para obtenção do título de especialista em Gestão Ambiental pelo Núcleo de Meio Ambiente da Universidade Federal do Pará, mostrou que nenhuma das marcas analisadas no Laboratório de Recursos Hídricos do Instituto de Geociências da UFPA estão dentro desses padrões recomendados.

“Água precisa ter um pH acima de 6,5 para ser potável. Abaixo disso, não é água potável, podendo, inclusive, causar problemas de saúde. Se consumida durante dez, vinte anos, pode causar problemas gástricos, como gastrites, úlceras e câncer de estômago”, advertiu o professor Milton Matta, que orientou o estudo.

Para você se informar melhor sobre o pH da água que consumimos, confira a lista das águas mais vendidas no Brasil com seus respectivos pH:

  • Santa Joana – pH 5,25
  • Petrópolis – pH 5,38
  • Bonafont – pH 5,44
  • São Lourenço – pH 5,45
  • Perrier – pH 5,5
  • Lindoya – pH 6,74
  • Schin – pH 6,79
  • Puris – pH 6,98
  • Água Prata – pH 7,01
  • Crystal – pH 7,28
  • Pureza Vital (Nestlé) – pH 7,44
  • Minalba – pH 8,04
  • Levity – pH 8,84
  • Sarandi – pH 9,35
  • Ibirá – pH 10,15

Confira também algumas águas vendidas no Pará, estado onde a pesquisa foi realizada. Os resultados são bastante preocupantes.

  • Belágua – pH 3
  • Top Line – pH 3,75
  • Mar Doce – pH 3,80
  • Nossa Água – pH 3,89
  • Terra Alta – pH 4,14
  • Indaiá – pH 4,52

Esses níveis de pH apresentam um grande risco para o consumidor. O estudo reforça que as empresas que produzem as águas analisadas precisam se adequar aos padrões o quanto antes.

Além disso, o estudo evidencia que existe uma ausência no monitoramento nesse processo de produção, o que poderia evitar que águas com pH impróprio para o consumo fossem produzidas e comercializadas.

Sempre que for comprar água, verifique o índice de pH, indicado no rótulo. Isso pode fazer com que você compre apenas águas dentro dos padrões recomendáveis e assim evite doenças a longo prazo. Compartilhe essa notícia!

Fonte: Jornal Ciência




Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook