Perca Peso Agora

Esses Produtos Parecem Inofensivos... Mas Podem Causar Câncer

Mais de 80.000 substâncias químicas são colocadas nos produtos americanos a cada ano, sem nenhum tipo de teste de segurança. E mais de 10.000 aditivos químicos com duvidosa segurança, na maioria nunca testados em humanos, são permitidos nos alimentos e em suas embalagens.

Há fortes evidências científicas de que a exposição à esses produtos químicos está contribuindo para o aumento do número de casos de câncer, anomalias congênitas, puberdade precoce, e muitas outras doenças neurológicas, endócrinas e metabólicas. Muitos produtos químicos industriais têm sido encontrados acumulando-se no ambiente e no corpo humano.

Alguns testes de segurança são feitos com certos produtos, mas estes testes são realizados isoladamente.

As pesquisas revelaram que esse é o maior erro, visto que alguns produtos químicos, quando usados juntos, tem a sua toxicidade aumentada exponencialmente.

Uma avaliação recente pelo Instituto Nacional de Alimentos na Universidade Técnica da Dinamarca descobriu que mesmo pequenas quantidades de produtos químicos podem amplificar cada um dos outros efeitos adversos quando combinados.

Conforme relatado pelo Instituto:

"O recém-concluído projeto de pesquisa de 4 anos sobre os efeitos da mistura de químicos nos alimentos ... estabeleceu que, quando dois ou mais produtos químicos aparecem juntos, eles muitas vezes têm um efeito aditivo.

Isso significa que os efeitos podem ser previstos com base em informações de produtos químicos individuais, mas também que pequenas quantidades de produtos químicos, quando presentes em conjunto, podem ter efeitos negativos significativos".
Certos produtos, mesmo não sendo cancerígenos, podem agir em conjunto para a produção de câncer

Acredita-se que 1 em cada 5 tipos de câncer pode ser causado pela exposição a substâncias químicas ambientais, e de acordo com um estudo recente publicado na revista Carcinogênese, isso inclui produtos químicos considerados "seguros" por conta própria.

O alimento é uma fonte primária de exposição a muitos produtos químicos tóxicos.

Além de móveis, materiais de construção, produtos de higiene pessoal, produtos eletrônicos, e outros inúmeros produtos domésticos, muitos produtos químicos perigosos fazem o caminho em seu corpo através do alimento que você come.

Investigadores que analisaram as dietas de crianças na Califórnia para avaliar os efeitos dos contaminantes alimentares na saúde descobriram que os alimentos podem ser a principal via de exposição a:

  • metais pesados

  • poluentes ambientais, como as dioxinas e o DDT (sigla de diclorodifeniltricloroetano)

  • pesticidas

Perturbadoramente, todas as 364 crianças testadas tinham níveis de arsênico, dieldrina (pesticida proibido), DDE (um metabolito do DDT) e dioxinas excedendo os níveis de referência para o câncer.

Você ficará surpreso ao saber quais os alimentos que foram considerados culpados pela exposição tóxica:

  • A carne de frango foi a fonte número um de arsênico entre os pré-escolares.

  • Os produtos lácteos foram a principal fonte de chumbo, pesticidas e dioxinas.

  • Frutos do mar foram a fonte número um de exposição ao mercúrio.

Dicas para ajudá-lo a evitar produtos químicos tóxicos

É bastante claro que o governo dos EUA está aquém quando se trata de proteger-se do ataque de produtos químicos tóxicos que podem ter efeitos devastadores geracionais. E imagina aqui no Brasil então!

Dentro de um sistema tão disfuncional, você é a melhor pessoa para manter sua família segura. Embora ninguém possa orientar, claramente e com sucesso, sobre todos os produtos químicos e poluentes, você pode minimizar sua exposição, mantendo uma série de princípios em mente.

  • Ter uma dieta focada em alimentos cultivados localmente, frescos e orgânicos, e idealmente alimentos integrais. Os alimentos processados e embalados são uma fonte comum de produtos químicos como BPA e ftalato.

  • Lave bem os produtos frescos, especialmente se não são cultivados organicamente.

  • Escolha carnes e laticínios produzidos de forma sustentável para reduzir a sua exposição aos hormônios, pesticidas e fertilizantes. Evite leite e outros produtos lácteos que contêm o hormônio de crescimento bovino recombinante geneticamente modificado (rBGH ou rBST).

  • Ao invés de comer peixe convencional ou criados em fazendas, que são muitas vezes fortemente contaminados com PCB e mercúrio, comer peixes selvagens, pescados diretamente em rios e mares de regiões não poluidas (muito difícil isso, mas vale a pena tentar!)

  • Comprar produtos que vêm em garrafas de vidro em vez de plástico ou latas. Estar ciente de que até mesmo "livres de BPA", plásticos normalmente contém outros produtos químicos de desregulação endócrina que são tão ruins para você como o BPA.

  • Armazenar seus alimentos e bebidas em vidro, em vez de plástico, e evitar o uso de filme plástico. Utilize mamadeiras de vidro.

  • Substitua suas panelas antiaderentes e outras panelas por panelas de cerâmica ou vidro.

  • Filtrar a água da torneira tanto para beber, como para tomar banho. Filtrar a sua água de banho pode ser muito importante, porque a sua pele absorve muitos contaminantes (também é um pouco complicado!). Para remover a desregulação endócrina herbicida atrazina, verifique se o filtro é certificado para removê-lo. De acordo com o EWG, perclorato pode ser filtrado usando um filtro de osmose inversa.

  • Procure por produtos fabricados por empresas que são eco-friendly, amiga dos animais, sustentável, orgânica certificada, e livre de OGM. Isso se aplica a tudo, desde alimentos e produtos de higiene pessoal até materiais de construção, carpetes, pintura, artigos de bebê, móveis, colchões, entre outros. Use um aspirador com um filtro HEPA para remover poeira doméstica contaminada. Esta é uma das principais vias de exposição a produtos químicos retardadores de chama.

  • Ao comprar novos produtos, como móveis, colchões , ou estofamentos e tapetes, considerar a compra de produtos livres de retardadores de chama, e que contenham naturalmente materiais menos inflamáveis, tais como couro, lã, algodão, seda e Kevlar.

  • Evite o uso de impermeabilizantes de tecidos nas roupas, móveis e tapetes para evitar produtos químicos perfluorados (PFCs).

  • Certifique-se que os brinquedos do seu bebê são livres de BPA, como chupetas, mordedores e qualquer coisa que seu filho possa chupar ou mastigar, até mesmo livros, que muitas vezes são plastificados. É aconselhável evitar todas as variedades de plástico, especialmente flexíveis.

  • Use produtos de limpeza naturais ou faça o seu próprio. Evite aqueles contendo 2-butoxietanol (EGBE) e methoxydiglycol (DEGME) -dois éteres de glicol tóxicos que podem comprometer a sua fertilidade e causar dano fetal.

  • Substitua a sua cortina de chuveiro de vinil por uma de tecido. Substitua produtos de higiene feminina (tampões e absorventes higiênicos), com alternativas mais seguras.

  • Mudar para produtos de higiene pessoal orgânicos, incluindo shampoo, pasta de dente, desodorantes e cosméticos.

  • Procure por produtos sem perfume. Uma fragrância artificial pode conter centenas, até mesmo milhares de produtos químicos-potencialmente tóxicos. Evite amaciantes de roupas e secador de folhas, que contêm uma mistura de produtos químicos sintéticos e fragrâncias.

Fonte: Mercola.com



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook