Perca Peso Agora

21 Mitos e Verdades sobre a Dengue. Essa Informação é Muito Importante!

Com a epidemia de dengue se alastrando em várias cidades, é muito importante ter conhecimento sobre suas peculiaridades. A seguir temos 21 tópicos informativos que ajudarão você a esclarecer várias dúvidas!

1- A dengue não tem tratamento.

MITO: Não existe um remédio ou tratamento contra o vírus em específico, mas alguns sintomas da doença, como febre, cefaléia, dores no corpo e nas articulações, manchas e erupções na pele, podem, e devem, ser tratados.

Alguns deles podem evoluir para quadros mais graves se não forem bem cuidados. Por isso, é fundamental o acompanhamento médico para determinar o melhor procedimento em cada caso.

2- O mosquito da dengue só gosta de água suja.

MITO: O mosquito gosta de qualquer tipo de água, seja suja ou limpa, desde que ela esteja parada e nas condições ideais de temperatura e luminosidade.

Por isso, ele pode se proliferar tanto em piscinas (dependendo da quantidade de cloro) e caixas d'água, quanto em pneus velhos e sacos de lixo.

3- Uma boa alimentação garante imunidade à doença.

MITO: Ter uma dieta saudável é sempre recomendação para ter boa saúde, em qualquer circunstância. No caso da dengue, uma pessoa saudável pode ter um quadro mais leve da doença, e combater os sintomas com mais facilidade que alguém que esteja desnutrido ou com a imunidade comprometida. Mas qualquer um pode contrair a doença caso seja exposto ao vírus.

4- Os sintomas da dengue tipo 4 são diferentes dos outros tipos da doença.

MITO: Os sintomas da doença são os mesmos nos 4 tipos de dengue. Eles incluem febre, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, perda do paladar e do apetite, manchas e erupções na pele, náuseas, vômitos, tonturas, cansaço, dor no corpo, nos ossos e nas articulações.

5- Posso pegar dengue mais de uma vez.

VERDADE: Existem quatro tipos diferentes de vírus da dengue, que não geram imunidade cruzada, ou seja, a imunidade é específica para cada um dos tipos. Se a pessoa pegar a dengue do tipo 1, por exemplo, ficará imune ao tipo 1, mas poderá se infectada ainda pelos vírus de tipo 2, 3 e 4.

6- Uma pessoa com dengue pode se tratar apenas em casa.

PARCIALMENTE VERDADE: Sim, desde que essa seja a orientação do médico. Nunca se deve tratar a doença em casa sem antes buscar ajuda médica. Só um especialista pode indicar os melhores remédios e o tratamento adequado em cada caso, dependendo da gravidade e da evolução da doença.

Em geral, como não é comum efetuar o diagnóstico de dengue por exames, que são demorados e complexos, é recomendado ao paciente ir para casa e ficar em observação. Se os sintomas piorarem, ele deve voltar ao médico para uma nova avaliação. Em casos mais graves, pode ser necessária até uma internação.

7- É possível que uma pessoa infectada passe a doença.

MITO: Não há transmissão da dengue de pessoa para pessoa. É necessário um mosquito "Aedes aegypti" contaminado com o vírus da dengue para que a doença contagie um ser humano. O que pode acontecer é um mosquito que não tem a doença picar alguém infectado e, então, se contaminar. Neste caso, ele passa a ser um potencial transmissor da doença.

8- Repelentes ajudam a espantar o mosquito.

VERDADE: O repelente reduz o risco de picadas pelos mosquitos e pode ser utilizado toda vez que a pessoa for a um local onde provavelmente existam insetos. Seu uso deve ser criterioso, sem excessos, e respeitar as recomendações dos fabricantes e dos profissionais de saúde. Apesar de ajudar a afastar o mosquito, vale ressaltar que ele não é garantia de imunidade à doença. Além disso, ao suar ou molhar-se, o repelente pode sair e ter sua eficácia reduzida.

9- O mosquito que transmite a doença não pica durante a noite.

MITO: Não é comum, mas pode acontecer. O mais comum é as picadas acontecerem durante o dia e no fim da tarde. Durante a noite, os mosquitos não costumam sair para voar e ficam abrigados entre plantas e nos entulhos. Mas isso não impede que, eventualmente, saiam e piquem alguém.

10- As picadas só acontecem nas pernas.

MITO: Picadas podem acontecer em qualquer parte exposta do corpo, apesar de ocorrerem com mais frequência nas pernas e, principalmente, nos pés. Essas regiões possuem ácidos que geram um cheiro bem característico e que tende a atrair mais o mosquito. O cuidado, no entanto, deve ser com todo o corpo, pois o mosquito também pode acabar picando outras regiões.

11- O mosquito infectado pode não transmitir a doença

VERDADE: O vírus se aloja na saliva do mosquito, que é utilizada durante a picada para sugar o sangue. A chance de transmissão, nestas condições, é grande e praticamente inevitável, mas pode eventualmente não acontecer. Isso porque, apesar de contaminado, o vírus presente no mosquito pode estar ainda em período de incubação que dura, em média, dez dias. Só depois desse período ele pode ser transmitido, o que pode acontecer várias vezes durante o ciclo de vida do mosquito, de cerca de um a dois meses.

12- Tomar chá de cravo-de-defunto ou de cravo-amarelo ajuda a combater a doença.

MITO: Não há nenhum estudo científico que comprove essa teoria que surgiu da ideia de que, ao tomar essas bebidas, a pessoa exalaria um cheiro capaz de espantar o mosquito.

13- É possível tratar a dengue apenas com homeopatia.

MITO: Embora um medicamento homeopático tenha sido aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) com esse fim, Marcos Cyrillo, da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), diz que não há testes suficientes para comprovar sua eficácia cientificamente. No entanto, algumas pessoas que acreditam neste tipo de terapia podem se sentir bem após fazer uso de alguns remédios homeopáticos para tratar os sintomas da doença. Em todos os casos, o indicado é sempre consultar um médico que avalie o quadro geral da doença (se é leve ou grave) e oriente o paciente na melhor alternativa de tratamento.

14- Fico livre do mosquito da dengue ligando o ar-condicionado.

MITO: Ambientes mais frios e o fluxo de ar do aparelho inibem a ação dos mosquitos, mas não os eliminam. Não há como garantir segurança completa nestes casos, especialmente se o aparelho não provocar um forte fluxo de ar, permitindo que os insetos continuem voando.

15- Se um paciente tem apenas febre já pode estar com dengue.

VERDADE: A febre é um dos sintomas da dengue. Quando surge, é necessário consultar um médico para o correto diagnóstico e para descartar outras doenças, como gripe.

16- Em casos de suspeita de dengue, paracetamol e dipirona não devem ser usados pelo paciente.

MITO: A recomendação é não utilizar apenas aspirina (ácido acetilsalicílico), porque este medicamento é anticoagulante e pode causar hemorragias em quem está com dengue. A dipirona, apesar de não ser vetada, também pode gerar efeitos adversos no sangue, portanto deve ser evitada. Já o paracetamol, em doses baixas, é o que menos tem risco de efeitos adversos no tratamento da dengue. Em todos os casos, a recomendação é sempre procurar um médico antes de tomar qualquer remédio. Somente um especialista poderá determinar qual é o melhor para cada paciente.

17- Uma vacina para conter o vírus está sendo estudada.

VERDADE: Há muitos estudos de vacinas contra a dengue em andamento, alguns inclusive já em teste e com resultados promissores. Há previsão de liberação da vacina para o segundo semestre desse ano ainda.

18- Qualquer inseticida mata o mosquito.

VERDADE: O produto ajuda a matar os mosquitos e pode ser utilizado de acordo com as recomendações do fabricante em ambientes fechados. No entanto, não se pode confiar somente neste mecanismo de controle. É preciso, antes de tudo, evitar deixar água parada em recipientes dentro e fora de casa, que é o local de depósito das larvas e grande fator de proliferação do mosquito.

19- Misturar água sanitária na água elimina as larvas.

VERDADE: Em uma concentração alta, a água sanitária pode, em teoria, matar as larvas do mosquito. Mas isso não é garantido, pois ela precisaria ser utilizada em uma concentração muito alta para atingir tal benefício. A água sanitária oferece ainda algumas restrições, pois só pode ser utilizada em recipientes que armazenam água que não seja para consumo humano, como piscinas desativadas e ralos pluviais, por exemplo. Portanto, não deixar a larva surgir, evitando a água parada, é sempre mais eficiente do que tentar eliminá-la com produtos químicos depois.

20- A pessoa que teve a doença fica imune após o tratamento.

PARCIALMENTE VERDADE: Quem já teve dengue adquire imunidade permanente para aquele tipo de dengue que a acometeu. Como existem 4 tipos diferentes de vírus da doença, a pessoa pode adquirir ainda um vírus do outro tipo. Portanto, mesmo quem já teve dengue uma vez deve continuar tomando medidas para evitar um novo contágio por um outro tipo da doença.

21- Apenas a fêmea do mosquito transmite a dengue.

VERDADE: O vírus fica alojado na saliva do mosquito, que é utilizada para sugar o sangue na hora da picada. Como apenas a fêmea do mosquito transmissor se alimenta de sangue e o macho não, somente ela transmite a doença.

Fonte: http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/reuters/2014/11/03/primeira-vacina-contra-a-dengue-deve-chegar-ao-mercado-em-2015-diz-sanofi.htm#fotoNav=



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook