Perca Peso Agora

Dedique 30 Minutos do Seu Dia para a Prevenção do Alzheimer

Anime-se e comece a se exercitar, porque quando se trata de “exercício”, um pouco pode fazer muito para salvar o seu cérebro. Tudo o que você precisa fazer é uma caminhada vigorosa de 30 minutos, três ou quatro vezes por semana.

E o resultado? O fluxo sanguíneo aumentado para o seu cérebro pode reduzir o risco para Alzheimer.

Pesquisadores no Instituto de Exercício e Medicina Ambiental, do Hospital Presbiteriano Saúde, do Texas, em Dallas, estudaram 16 mulheres que tinham 60 anos ou mais. Eles mediram o fluxo sanguíneo nas carótidas para determinar como o fluxo de sangue para o cérebro mudava na medida em que as mulheres andavam.

Descobriram um fluxo aumentado em 15% na artéria carótida esquerda e 11% na direita.

Embora uma pesquisa anterior já tenha mostrado que manter-se ativo pode ajudar a melhorar a função cerebral nos anos dourados, a maioria dos estudos não se dão ao trabalho de explicar o porquê. Baseado em estudos, a resposta parece estar relacionada ao fluxo sanguíneo aumentado.

Faz sentido! Afinal, o fluxo de sangue aumentado carrega consigo mais oxigênio, glicose e outros nutrientes que apóiam a saúde cerebral. O sangue também ajuda a mobilizar detritos, como a placa beta-amilóide associada à doença de Alzheimer.

Para um benefício adicional, vá lá fora e ande! O ar fresco lhe fará bem e você também obterá vitamina D.
Por falar em vitamina D, as notícias continuam melhorando.

Todos olhando a vitamina D

Justo quando você acha que os benefícios da vitamina D não poderiam de jeito nenhum continuar a se somar, lá vem outro estudo mostrando mais um beneficio desta vitamina “faz tudo”. Desta vez, os pesquisadores descobriram que a vitamina D pode ajudar a manter a sua acuidade visual na velhice.

A degeneração macular relacionado à idade (DMRI) é uma doença ocular crônica e progressiva que causa a formação de um ponto cego no centro da sua visão. A sua melhor estratégia é evitar que ela aconteça e parece que uma das melhores maneiras de fazer isso é reforçar a vitamina D no organismo.

Os pesquisadores estudaram 1.313 mulheres entre 50 e 79 anos como parte do experimento “Carotenóides na Doença Ocular Relacionada à Idade”. Cada mulher teve um exame de sangue para determinar seu nível de vitamina D. Das 1.313 mulheres, 241 desenvolveram a DMRI de estágio primário e 26 desenvolveram a DMRI avançada.

O estudo, publicado em Archives of Ophthalmology, mostrou que as mulheres com a maior concentração de vitamina D tinham um risco 59 % menor para DMRI comparadas àquelas com a menor concentração.

A vitamina D é tão importante para a saúde e o bem-estar geral que seria simplesmente insano andar por aí com um nível menor que o ideal, especialmente quando *aumentar o nível é tão simples quanto tomar um suplemento de D3.

Se você já não o fez, cheque o seu nível de vitamina D agora mesmo e invista em um suplemento de D3 de qualidade. E para um bônus adicional, passe um tempo absorvendo a vitamina D da fonte número um da Mãe Natureza: o Sol. E não se esqueça de associar também um suplemento de vitamina K2.

Referências bibliográficas:

  • Exercise is associated with reduced risk for incident dementia among persons 65 years of age and older,” Larson EB, Wang L, et al, Ann Intern Med, 2006; 144(2): 73-81.
  • Exercise plus Behavioral Management in Patients With Alzheimer’s Disease: A Randomized Controlled Trial,” Teri L, Gibbons LE, et al, JAMA, October 15, 2003; 290(15):2015-2022.
  • Prevention of Dementia,” Press D, Alexander M, UpToDate in Family Practice, October 2003:1-5.
  • Effect of physical activity on cognitive function in older adults at risk for Alzheimer disease: a randomized trial,” Lautenschlager NT, Cox KL, et al, JAMA, 2008; 300(9): 1027-37.

Fonte: Dr. Rondó



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook