Perca Peso Agora

Cuidado com os "Suplementos Termogênicos"! Riscos e Efeitos Colaterais

Os chamados suplementos termogênicos são produtos que têm se tornado muito populares nos últimos anos, pois prometem perda de peso e uma melhor performance física. Os termogênicos são substâncias que agem aumentando a temperatura corporal através da estimulação dos sistemas cardiovascular, respiratório e nervoso central.

Os resultados da termogênese são um aumento do metabolismo basal e uma maior queima de gordura, o que ajuda o paciente a emagrecer.

O problema é que os resultados destes suplementos não são isentos de efeitos colaterais, alguns deles mais simples, como alterações do humor, boca seca, tremores e insônia, e outros mais graves, tais como arritmias cardíacas, infarto e AVC.

Nos últimos anos, diversas agências governamentais de controle de substâncias, incluindo a brasileira ANVISA, têm emitido resoluções proibindo a venda de alguns suplementos termogênicos, devido aos seus riscos para saúde.

A cada ano que passa, a lista de produtos banidos têm aumentado.

Vamos fazer aqui uma revisão sobre os suplementos termogênicos, abordando a sua composição e possíveis efeitos colaterais.

Atenção: para que não haja confusão, é preciso realçar que vamos falar exclusivamente sobre suplementos termogênicos, que são produtos industrializados vendidos sob a forma de cápsulas ou comprimidos. O texto não irá abordar o assunto “alimentos termogênicos”, pois estes, se consumidos de forma equilibrada, não trazem risco à saúde.

O que é um suplemento termogênico?

Chamamos de "suplemento termogênico" as substâncias que ajudam a acelerar o metabolismo e a aumentar a temperatura corporal, auxiliando na queima de gorduras e perda de peso.

O forte apelo nos meios de comunicação social e a expectativa de perda de peso com resultados rápidos têm contribuído para uso irresponsável dessas substâncias pela população, sem que a mesma seja devidamente esclarecida sobre os riscos envolvidos.

Por esse motivo, os órgãos governamentais ao redor do mundo tem fechado o cerco contra a comercialização indiscriminada desses produtos.

A composição dos "suplementos termogênicos" tem sido alterada ao longo dos anos por conta da frequente atualização da lista de substâncias comercialmente banidas. A retirada constante de suplementos termogênicos inseguros tem acarretado em dois efeitos: uma maior segurança para os usuários, porém ao custo de uma perda significativa do efeito emagrecedor.

Substâncias que possuem grande atividade estimuladora do metabolismo, como a efedrina e a dimethylamylamine (DMAA), presentes em várias marcas de termogênicos, foram banidas em vários países, incluindo o Brasil, devido ao seu elevado risco de complicações cardiovasculares.

Atualmente, os termogênicos mais populares utilizam a cafeína e a sinefrina (Citrus auranthium) como substâncias termogênicas principais.

Além da sifedrina e da cafeína, é possível encontrar diversas outras substâncias nos produtos considerados termogênicos, incluindo hormônios, vitaminas, aminoácidos, antidepressivos e até diuréticos, o que faz com que seja impossível definir uma composição padrão para as diversas marcas de complementos termogênicos.

Substâncias frequentemente presentes nos suplementos termogênicos

Como existem diversas marcas diferentes, com composições completamente distintas, vamos fazer um levantamento das principais substâncias presentes nos complementos termogênicos mais vendidos no Brasil e no mundo.

1. Efedrina – a efedrina (efedra) é uma substância derivada da planta Ephedra sinica ou Ma huang. Molecularmente semelhante a anfetamina, a efedrina era muito utilizada junto à cafeína como suplemento termogênico, visando emagrecimento e aumento da performance atlética. Apesar da sua grande eficácia e popularidade, os termogênicos à base de efedrina tem sido banidos em todo o mundo, devido ao elevado risco de efeitos colaterais.

Um estudo conduzido entre 1997 e 1999, com usuários de termogênicos à base de efedrina, encontrou diversos casos de hipertensão arterial, arritmias cardíacas, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC) e crise convulsiva.

Pelo menos 10 casos evoluíram para o óbito e 13 levaram à invalidez permanente. Destes 23 relatos mais graves, nove ocorreram em pessoas que não tinham fatores de risco e haviam consumido as doses recomendadas pelo fabricante.

2. Cafeína – a cafeína é a substância estimulante mais consumida em todo o mundo e tem sido utilizada de forma quase universal nos termogênicos permitidos comercialmente. Estudos mostram que o consumo de até 400 mg de cafeína por dia é seguro nos adultos (30 ml de café expresso possui entre 30 e 90 mg de cafeína). Nos adolescentes ainda não se tem estabelecida uma quantidade de cafeína diária segura, mas provavelmente ela é menor que o limite de 400 mg dos adultos.

A cafeína não é tão eficaz para perda de peso quanto as banidas substâncias derivadas da anfetamina, o que faz com que a sua dosagem nos termogênicos seja bem elevada, de forma a compensar a baixa eficácia. Alguns produtos termogênicos chegam a fornecer mais de 800 mg de cafeína por dia, o que é mais do que o dobro da dose considerada segura. Doses muito elevadas aumentam o risco de arritmias e isquemia cardíaca.

A cafeína nos termogênicos é geralmente obtida através de pó de café, guaraná ou chá verde.

3. Sinefrina – A sinefrina, obtida através da Citrus auranthium, também conhecida como laranja-azeda ou laranja-amarga, é uma substância semelhante à efedrina, porém mais fraca. Com a proibição da efedrina, a sinefrina ganhou popularidade e tem sido frequentemente utilizada em associação com doses elevadas de cafeína.

Apesar de mais fraca e menos eficaz que a efedrina, a sinefrina de forma alguma pode ser considerada uma substância isenta de riscos. Casos de AVC, arritmias cardíacas e infartos têm sido relatados devido ao seu uso.

A dose máxima diária considerada segura de sinefrina é 50 mg. Quando associado à cafeína, a dose máxima diária segura é 40 mg de sinefrina e 320 mg de cafeína.

4. Octopamina – A octopamina é uma substância semelhante à sinefrina, que também pode ser obtida pela Citrus auranthium. A eficácia e os riscos são muito parecidos. Doses até 50 mg/dia são consideradas seguras.

5. 1,3-dimetilamilamina (DMAA) – A 1,3-dimetilamilamina (DMAA) é um tipo de anfetamina, que foi banido pela ANVISA em 2012.

A DMAA pode provocar uma série de efeitos colaterais, tais como agitação, enjoos, dor de cabeça e elevação da pressão arterial.

Relatos de casos apontam a DMAA como causa de hemorragia cerebral, hepatite medicamentosa, rabdomiólise e infartos do miocárdio.

6. Outras substâncias: chitosan, cromo, ginseng, glucomanano (Amorphophallus Konjac), L-carnitina, psyllium, erva de São João, taurina e ácido linoleico são substâncias frequentemente presentes nos termogênicos, geralmente em associação com cafeína e/ou sinefrina. Estas substâncias, contudo, não apresentam evidências científicas de que sejam efetivas para perda de peso ou aumento da performance atlética, e ainda podem causar efeitos colaterais e interagir com alguns medicamentos.

Cuidados antes de tomar um suplemento termogênico

Nenhum suplemento termogênico deve ser consumido sem apoio de um profissional nutricionista ou médico. Mesmo os produtos autorizados pela ANVISA podem causar graves efeitos colaterais se forem consumidos por pessoas com fatores de risco para doenças cardiovasculares ou se as substâncias estimulantes estiverem em concentrações muito elevadas.

Um cuidado que se deve ter é sempre tentar identificar todas as substâncias presentes no produto, com as suas respectivas dosagens. Produtos não autorizados pela ANVISA podem ter substâncias escondidas na sua fórmula, principalmente diuréticos, hormônios tireoidianos e antidepressivos.

Como já referido, nos últimos anos a ANVISA tem retirado do mercado uma série de suplementos termogênicos, principalmente aqueles que apresentavam DMAA ou efedrina na sua formulação.

Exemplos de termogênicos banidos

  • Jack3D
  • Oxylin Pro
  • 1MR
  • Oxy Elite Pro
  • Lipo-6 Black
  • PWR
  • Hemo-rage
  • SSIN

Algumas dessas marcas mudaram as suas fórmulas, retirando as substâncias proibidas pela ANVISA, e, por isso, ainda podem ser encontradas no mercado.

Compartilhe essa informação! Você estará ajudando muita gente!

Fonte: MD.Saúde



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook