Cuidado com a Luz Azul Artificial! Ela é a nossa Nova Inimiga!

Cada vez mais tem ocorrido nas nossas vidas a exposição à luz azul artificial, causando consequências típicas do século 21. Nossos ancestrais não a conheciam, e terminavam o seu dia só com a luz solar, o que sincronizava o seu ritmo circadiano.

Com isso, recebiam o espectro completo de luz natural proveniente do sol durante o dia, que naturalmente contém alguma luz azul, em equilíbrio com a luz vermelha que é necessária e benéfica para o “reset” do seu relógio biológico interno.

E é isso que promove sono reparador, desde que você tome dosagem suficiente de exposição à luz solar durante o dia. A sua glândula pineal produz melatonina pelo contraste da exposição à luz solar do dia com a escuridão completa da noite.

Portanto, se você fica no escuro durante o dia, o seu corpo não consegue perceber a diferença de eliminação e com isso haverá comprometimento da produção de melatonina.

A nossa saúde depende desse ciclo regular claro-escuro, de preferência começando e terminando na mesma hora.

Porém, atualmente estamos expostos a luzes artificiais (LED, incandescentes e fluorescentes) e a equipamentos eletrônicos como smartphone, tablet, computador, televisão etc. com alta exposição à luz azul, o que causa uma confusão para o nosso corpo, podendo induzir a doenças crônicas.

Associação Médica Americana pede mais atenção à luz LED

No Congresso Anual de 2016 da Associação Médica Americana foram apresentadas novas diretrizes de como se deve reduzir o efeito negativo para a saúde e seus efeitos ambientais pelas luzes de LED, especialmente nas ruas.

Apesar da economia que geram, são lesivas. Tanto é que, algumas cidades americanas que colocaram muita iluminação de LED nas ruas, já estão tendo que reduzir essa quantidade.

Nova York já reduziu 25% das iluminações de LED nas ruas.O motivo é o desconforto e a desabilidade causada pela intensidade da luz, que pode promover diminuição de acuidade visual e segurança, além de suprimir a produção de melatonina à noite, muito mais do que outras formas de iluminação.

E isso, como consequência promove:

  • Redução de horas de sono;
  • Sonolência diurna, com comprometimento das funções;
  • Obesidade.

Como evitar a luz azul artificial

Essa luz azul artificial deve ser evitada sempre, e não somente à noite. Para isso deve-se, após o entardecer, usar óculos que bloqueiam essa luz, com lentes âmbar, ou específicos para bloquear essa luz artificial.

Assim você reduz essa exposição nas ruas, no uso dos equipamentos eletrônicos e no ambiente de casa, o que é benéfico para a sua saúde.

Suplementos para proteger os seus olhos

Esse tipo de luz causa um distanciamento das proteínas na mitocôndria e comprometendo o transporte de elétrons, tornando a mitocôndria das células oftálmicas menos eficientes.

Veja alguns suplementos que podem ajudar:

  • Zeaxantina: um antioxidante carotenoide importante para a sua retina.
  • Luteína: antioxidante importante para a sua mácula, que protege a sua visão central contra as luzes LED. -Astaxantina: um poderoso antioxidante que penetra a barreira ocular protegendo contra os danos oxidativos causados pelo excesso de luz azul artificial.

Depois de saber dos perigos da luz azul artificial, proteja-se! Assim você estará beneficiando não só a saúde dos seus olhos como também terá uma boa noite de sono. Compartilhe!

Referências bibliográficas:

  • Chronobiol Int. 2009 Dec;26(8):1602-12
  • Current Biology July 25, 2016
  • Medical News Today July 15, 2016
  • American Medical Association June 14, 2016
  • USA Today. Jan 22, 2017

Fonte: Dr. Rondó




Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook