Correria no final de ano? Médico ensina a evitar estresse e depressão!

Nessa época do ano existem inúmeros prazos, despesas e festas que acabam provocando muito estresse nas pessoas. Como você está se sentindo nesse mês de dezembro? Um levantamento feito pela Internacional Stress Management Association Brasil, o Isma-BR, declarou que no final do ano o estresse aumenta 75% em relação aos meses anteriores.

Isso acontece pois no último mês de cada ano existem uma corrida contra o tempo no trabalho e em casa.

De acordo com a pesquisa do Isma, existem inúmeros prazos, despesas e festas que acabam provocando muito estresse nas pessoas envolvidas.

O cardiologista Anis Mitri explica essa relação: “o estresse e a depressão elevam o nível de cortisol no organismo, o que faz com que a frequência cardíaca e a pressão arterial aumentem também. Além disso, com a quantidade de atividades que precisam ser feitas no fim do ano, a pessoa que já tem diabetes e hipertensão, por exemplo, pode se esquecer de usar os medicamentos e agravar ainda mais o problema de saúde”.

Nessa época do ano, é comum também aumentar os sintomas que provocam depressão. Essa afirmação é do Centro de Valorização à Vida, o CVV, que recebe 20% mais pedidos de ajuda no final do ano.

Esse distúrbio surge principalmente de frustrações vividas ao longo dos semestres anteriores, a pressão no trabalho para concluir atividades antes do ano novo e, até mesmo, as férias escolares das crianças podem influenciar nos níveis de hormônios que alteram o humor e a sensação de bem-estar.

Além dos problemas psicológicos, o mês de dezembro pode trazer complicações para o bom funcionamento do organismo. É a Holiday Heart Syndrome, expressão americana que significa mais ou menos ‘Síndrome do coração pós-feriado ou pós-festa’.

Durante essa época, as pessoas tendem a exagerar na comida e bebida. O sal e a gordura podem provocar problemas gastrointestinais e de circulação. Já o álcool influencia diretamente o coração.

O cardiologista Anis Mitri lembra que “o uso de substâncias estimulantes, como álcool ou drogas, tem efeito estimulante e inflamatório do tecido de condução cardíaca. Isso faz com que pessoas com predisposição, possam ter descompassos, irregularidades e aumento dos batimentos”.

Em casos mais graves, o médico é taxativo: “faz a pressão aumentar subitamente e o coração disparar, o que pode levar ao infarto, arritmias e AVC”.

Diante de tantos riscos não é preciso se isolar e fugir dos encontros de final de ano, mas ter em mente que é possível se divertir sem prejudicar a saúde.

O exagero é a chave de toda doença.

Por isso, o especialista recomenda a prática de atividades físicas, o contato com a natureza e o estímulo afetivo de parentes e amigos. Além disso, você pode aproveitar o ano que se inicia e procurar um médico para colocar os exames em dia.

Compartilhe com seus amigos!

Fonte: Remédio Caseiro




Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook