Perca Peso Agora

Consumir Muita Frutose durante a Gravidez Aumenta o Risco de Doença Cardíaca para a Criança

Os efeitos negativos do consumo de grandes quantidades de frutose podem impactar várias gerações, de acordo com pesquisadores da University of Texas Medical Branch (UTMB), em Galveston. O estudo da UTMB descobriu que camundongos fêmeas prenhas que só bebiam água adoçada com frutose, um adoçante comum em alimentos e bebidas, sua prole apresentava vários fatores de risco para a doença cardíaca, em comparação com os animais que só bebiam água (sem adição de frutose) durante toda a gestação. Estes resultados foram publicados recentemente no American Journal of Obstetrics and Gynecology.

O estudo pode ter implicações para todas as pessoas porque uma grande proporção de alimentos processados e bebidas gaseificadas contêm xarope com alta concentração de frutose e outros adoçantes à base de frutose.

Estudos recentes suportam uma ligação entre o consumo deste adoçante e o aumento de taxas de doenças cardiovasculares, obesidade e diabetes tipo 2.

No estudo da UTMB, os pesquisadores investigaram o impacto de altos níveis do consumo de frutose durante a gravidez sobre os filhos quando adultos.

Ao longo da gestação, os pesquisadores deram aos camundongos ou apenas água ou uma bebida com 10% de frutose que imita os refrigerantes. Caso contrário, as dietas eram as mesmas para ambos os grupos (água e frutose). Após o desmame, água e uma dieta normal foram fornecidas aos filhotes e foram avaliados após um ano. O período de um ano é considerado meia idade para camundongos desde que a sua expectativa de vida é de cerca de dois anos.

Antonio Saad, profissional da UTMB de medicina materno-fetal e sua equipe mediram a porcentagem de tecido adiposo abdominal e gordura no fígado por meio de tomografia computadorizada. Eles realizaram exames de sangue para medir as concentrações de glicose, insulina, colesterol total, triglicerídeos e leptina (um hormônio produzido pelas células de gordura que ajuda a regular o equilíbrio energético reduzindo a fome).

Descobriram que ambos os descendentes, tanto do sexo feminino quanto masculino, no grupo frutose tiveram maiores picos nos níveis de glicose, e pressão arterial mais elevada. As descendentes do sexo feminino do grupo frutose ao serem pesadas, mostraram maiores percentuais de tecido adiposo abdominal, gordura no fígado e resistência à insulina, bem como menor concentração de leptina em comparação com os seus semelhantes do grupo água. Nenhum dos camundongos mostrou quaisquer diferenças no colesterol total ou triglicerídeos, independentemente do grupo ou sexo.

“Descobrimos que quando a mãe tem um alto consumo de frutose durante a gestação, sua prole tem mais risco de desenvolver obesidade, hipertensão arterial e disfunção metabólica quando adulta, todos fatores de risco para as doenças cardiovasculares”, relatou Saad.

“Este efeito é mais pronunciado na prole feminina. Durante a gestação, limitar a ingestão de alimentos e bebidas altamente enriquecidos com frutose pode ter um grande impacto sobre a saúde futura da criança.

Fonte: Essentia



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook