Perca Peso Agora

Como Saber se Você Tem Baixa Acidez Estomacal? Faça o Teste JÁ!

Problemas digestivos como azia, refluxo ácido, problemas de estômago, náuseas e sensação de peso após comer são muitas vezes causados pela baixa acidez estomacal, e não o contrário.

O confuso é que os sintomas de alta acidez estomacal e baixa acidez estomacal são exatamente iguais. Possuir alta concentração de ácido clorídrico (HCl) é fundamental para uma boa digestão.

Se o "quimo" – mistura de comida, água e HCl –, ao esvaziar para o estômago em direção à primeira parte do intestino delgado, o duodeno, não contiver quantidade suficiente de HCl e fluidos, o pâncreas não será suficientemente estimulado a ponto de produzir as enzimas digestivas e o bicarbonato de sódio – sendo este último muito importante, pois a mistura deve ser neutralizada (tornada alcalina) para uma boa digestão continuar nos intestinos. Sem esse primeiro passo, todo o resto fica comprometido.

Por isso é importante verificar se o estômago está produzindo quantidade suficiente de ácido clorídrico, por meio de testes realizados em casa, ou, para medições mais precisas, por meio de exames laboratoriais solicitados por médico.

Veja abaixo 2 exemplos de testes de baixo custo que você pode fazer em casa!

1. Teste com o Suco de Beterraba

Leia também: Os perigos do "Omeprazol"

Ingredientes: 1 beterraba crua; 200 ml de água filtrada.

Modo de preparo: Descasque a beterraba, pique-a em pequenos pedaços e coloque-os dentro do liquidificador junto com a água. Bata tudo e depois coe com a ajuda de uma peneira.

Tome este suco de manhã, em jejum, por 3 dias seguidos. Verifique se a coloração de sua urina apresenta um tom leve ou fortemente rosado. Essa alteração recebe o nome de betúria, e ocorre quando o pigmento betalaína, da beterraba, não é quebrado corretamente na digestão. O ácido do estômago desempenha um papel importante na decomposição de pigmentos em alimentos, e o pH acima do normal permite a detecção da betúria, responsável pela coloração rosada na urina.

O teste serve exatamente para verificar se a urina adquire coloração rosada ou não, a fim de se testar a saúde digestiva.

Nota: o fato de a urina não ficar rosada não significa, necessariamente, que o pH estomacal esteja excelente, pois ele pode apenas não estar muito baixo. Dessa forma, nada impede que se melhore a digestão com táticas naturais, e, de quebra, que se baixe o pH estomacal ao nível ideal.

2. Teste com o Bicarbonato de Sódio

Ingredientes: 1/4 colher (chá) de bicarbonato de sódio; 200 ml de água filtrada.

Modo de preparo: Misture o bicarbonato de sódio com a água e beba a mistura, em jejum, pela manhã. Faça isso por 3 dias consecutivos.

Conte os minutos necessários até arrotar. O arroto, quando não ocorre em 5 minutos, indica acidez estomacal muito baixa!

O objetivo do teste envolvendo o bicarbonato de sódio e o ácido clorídrico é criar uma reação química dentro do estômago, que, com a produção do gás dióxido de carbono, provoca o arroto.

O teste, porém, apresenta algumas deficiências. Há uma série de variáveis a serem controladas, e por esse motivo é preciso que o teste seja realizado durante três manhãs consecutivas, pois assim será possível obter uma média que indique um padrão de resposta além do “sim” ou “não”. Além disso, a fim de se aumentar a precisão, o teste pode ser realizado logo ao acordar, antes que qualquer liquido ou alimento seja colocado na boca.

Se o estômago está produzindo quantidades adequadas de ácido no estômago, o arroto provavelmente ocorre no prazo de dois a três minutos.

Arroto precoce, por sua vez, pode ser devido ao excesso de ácido gástrico (mas não confunda esses arrotos com pequenos arrotos causados pela ingestão de ar junto da solução). Qualquer arroto depois de 3 minutos indica baixa concentração de ácido.

Para observar essa reação química fora do corpo, basta misturar um pouco de bicarbonato de sódio com alguma substância ácida, como suco de limão sem açúcar, pois o gás dióxido de carbono será produzido da mesma forma que aquele liberado dentro do estômago. Neste caso, a acidez do limão fará o papel do ácido clorídrico.

Outra forma de se entender esse processo é por meio da observação da reação química que acontece nas receitas que levam o bicarbonato de sódio como fermento. Ao juntar o bicarbonato de sódio com algum outro ingrediente ácido (quase sempre presente no próprio fermento), o gás dióxido de carbono será criado, e as bolinhas de ar tornarão a mistura “fofinha”.

Nota: o teste apresentado não é suficientemente preciso para se descartar o quadro de baixa acidez estomacal. Para isso, é preciso procurar um médico, a fim de que seja realizado o exame laboratorial específico.

Existem outras formas de se medir a acidez estomacal em casa, porém as mais seguras (livre de riscos) são as duas apresentadas aqui.

Fica a dica: Não use antiácidos. Esse não é o caminho!

Fonte: Diorgenes Tochetto



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook