Perca Peso Agora

Azar ou Maus Hábitos? Pesquisa Mostra Peso de Fatores Externos no Câncer

Um estudo realizado nos Estados Unidos sugere que o câncer é majoritariamente o resultado de fatores ambientais e hábitos, e não uma ocorrência aleatória.
No começo do ano, pesquisadores desencadearam um grande debate depois de sugerir que dois terços dos casos de câncer eram resultado de falta de sorte em vez de comportamentos pessoais - como fumar, por exemplo.

Mas, o novo estudo de uma equipe de médicos do Stony Brook Cancer Center, de Nova York, concluiu que apenas entre 10% e 30% dos casos de câncer são resultado da forma como o corpo funciona naturalmente, ou seja, da "sorte".

Especialistas afirmam que a análise, publicada na revista especializada Nature, é "bem convincente". "Fatores externos têm um papel importante, e as pessoas não podem se esconder atrás do azar. Elas não podem fumar e falar que é falta de sorte se tiverem câncer", disse Yusuf Hannun, diretor do Stony Brook.

"É como um revólver: o risco intrínseco é a bala. E se jogarem roleta russa, talvez uma em cada seis pessoas terão câncer - esta é a falta de sorte intrínseca. Mas o que um fumante faz é acrescentar duas ou três mais balas a esse revólver e puxar o gatilho. Ainda haverá um elemento de sorte, já que nem todos os fumantes desenvolverão câncer, mas eles aumentam as probabilidades contra si."

"De um ponto de vista de saúde pública, queremos remover o máximo de balas possíveis no tambor do revólver", acrescentou o médico.

Polêmica

O câncer surge quando uma das células-tronco do corpo começa a funcionar mal e se divide descontroladamente. Isso pode ser causado por fatores intrínsecos que são parte da forma inata como o corpo funciona, como o risco de mutações que ocorre cada vez que uma célula se divide, ou fatores externos como fumo, radiação de raios ultravioleta e muitos outros, que podem ainda nem ter sido plenamente identificados.

A polêmica gira em torno do peso dos fatores intrínsecos e dos fatores externos no desenvolvimento da doença.

Em janeiro uma pesquisa divulgada na revista Science tentava explicar a razão de alguns tecidos do corpo serem milhões de vezes mais vulneráveis ao câncer do que outros. A explicação foi o número de vezes que uma célula se divide - algo que não pode ser controlado e, por isso, deu origem à hipótese do "azar" relativo à ocorrência aleatória.

Neste mais recente estudo americano, a equipe de médicos do Stony Brook Cancer Centre abordou o problema a partir de perspectivas diferentes, incluindo modelos criados em computadores, dados populacionais e genéticos.
Segundo os pesquisadores, os resultados sugerem que entre 70% e 90% do risco é causado por fatores externos.

"Eles forneceram provas bem convincentes de que fatores externos têm um papel muito importante em muitos cânceres, incluindo alguns dos mais comuns", disse Kevin McConway, professor de estatística aplicada da Open University, da Grã-Bretanha.

"Mesmo se alguém é exposto a um importante fator de risco externo, claro que não é certo que ele vai desenvolver um câncer - sempre existe o acaso. Mas esta pesquisa demonstra novamente que temos que analisar além da probabilidade e sorte puras para compreender e proteger as pessoas contra o câncer", acrescentou.

"Ainda que hábitos saudáveis como não fumar, manter um peso saudável, ter uma dieta saudável e diminuir o consumo de bebidas alcoólicas não sejam garantias contra o câncer, eles reduzem de forma dramática o risco de se desenvolver a doença", disse Emma Smith, da ONG Cancer Research UK.

Fonte: BBC



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook