Perca Peso Agora

8 Coisas que Médicos do Pronto-Socorro JAMAIS teriam em sua Própria Casa

Os médicos que trabalham em pronto-socorro vivenciam tantas situações extremas e sensíveis, causadas por acidentes domésticos que, na maioria das vezes, poderiam ser evitados.

E isso nos fez pensar: quais objetos comuns eles consideram tão perigosos que são estritamente proibidos em suas casas?

Aqui estão alguns itens que (quase) todo mundo tem em casa e que mais assustam estes profissionais:

1. Cama elástica

"Nós vemos todo tipo de lesões graves por causa de camas elásticas. Fraturas na parte superior do corpo, fêmures quebrados, lesões no pescoço. É por isso que a maioria dos médicos de pronto-socorro com quem trabalho não compram esse tipo de "brinquedo" para seus filhos. As camas elásticas são um problema. Não existe um modelo ideal. Infelizmente os pais têm a falsa sensação de segurança; quando existe uma rede ou algo do tipo pois acham que os filhos estão seguros".

Ferdinando Mirarchi, MD, diretor médico do pronto-socorro do Centro Médico na Universidade de Pittsburgh.

2. Pilhas botão

"As baterias achatadas de relógio (ou pilhas botão) são cada vez mais comuns em alarmes de carro e nas luzes portáteis LED, mas elas podem ser extremamente perigosas para as crianças. As crianças gostam de objetos brilhantes e logo podem ingeri-las sem querer. O perigo é que elas podem ficar presas no esôfago. Quando uma moeda fica presa, frequentemente passa sozinha. Mas quando uma pilha de botão fica presa, o ácido da bateria vai comendo as paredes do esôfago, causando um problema para o resto da vida".

David J. Mathison, clínico geral, pediatra do pronto-socorro e diretor regional do PM Pediatrics.

3. Piscinas. Sim, piscinas!

"Infelizmente a cada verão vemos crianças, mesmo aquelas que sabem nadar, cair acidentalmente na piscina e se afogar. Para mim, como o afogamento ocorre tão rápido e frequentemente em silêncio, eu não consigo ter uma piscina em casa. Todos os meus três filhos nadam e nós os levamos para piscinas. Mas eu sei que, pelo menos onde eu moro, evitamos esse risco".

Dara Kass, MD, professora assistente no pronto-socorro do Ronald O. Perelman no Centro Médico da NYU Langone.

4. Lavadoras de alta pressão e... escadas!

"Existem dois itens que eu não deixo por aí: lavadora de alta pressão e escadas. Frequentemente tratamos pessoas que caíram de altas escadas, o que resulta em lesões graves e profundas (trauma craniano, colapso pulmonar). Uma coisa que eu não tenho em casa é uma lavadora de alta pressão. As pessoas acabam com ferimentos penetrantes ou lacerações por causa do intenso fluxo de água".

Seth Podolsky, clínico geral, do Instituto de Medicina do pronto-socorro da Clínica de Cleveland.

5. Armas de fogo, é claro

"Eu sou libertária o suficiente para ser, em teoria, a favor do porte de armas, mas eu já tive que lidar com muitos suicídios de adolescentes e mortes acidentais de crianças para deixar que os meus filhos visitem casas onde eu sei que existe uma arma".

Amy Baxter, MD, médica pediatra do pronto-socorro do Scottish Rite Children's Healthcare em Atlanta

6. Macarrão instantâneo

"O miojo lámen, ou sopas similares vendidas em potinhos, ficam extremamente quentes quando são levados ao micro-ondas. É o que mais vejo em queimaduras de bebês. Os pais esquecem de como é quente até que são puxados pela mãozinha arteira do pequeno na mesa".

David J. Mathison, MD

7. Comprimidos antigos (ou vencidos) para a dor

"As pessoas guardam restos de comprimidos, especialmente analgésicos narcóticos porque é cada vez mais difícil conseguir receitas para eles. Mas você sempre deveria se livrar dos remédios que sobraram. Nós já tivemos muitas crianças com overdoses de drogas para a dor, como a hidrocodona e oxicodona (encontradas nos remédios Vicodin, Percocet, OxyContin). Apenas um comprimido desses de liberação prolongada pode matar uma criança".

Ferdinando Mirarchi, clínico geral.

8. Cadeirão para bebês

"Eu trabalho em um centro de pediatria e trauma para adultos, mas por ser pai, a maior parte das minhas preocupações são com produtos infantis. Mais da metade das visitas ao pronto-socorro de crianças com menos de um ano são por quedas. Eu não compraria um cadeirão desses em que a mesa é móvel, porque eu já vi muitas crianças usarem o pé contra a mesa e fazer com que a cadeira caia para trás. Uma caída de quase um metro pode causar uma fratura no crânio".

Brian Fort, MD, médico do pronto-socorro no Hospital DuPage

Fonte: Huffpost Brasil



Receba Dicas de Saúde Grátis

Tenha uma vida mais saudável com nossas melhores dicas e novidades.

Compartilhar no Facebook